PIB da Índia cresceu 7,3% de outubro a dezembro de 2015

Folha de SP – A economia da Índia cresceu 7,3% no terceiro trimestre do ano fiscal em curso (outubro-dezembro de 2015) em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo dados oficiais divulgados nesta segunda-feira (8).

As expectativas dos analistas consultados pela agência Bloomberg eram de um crescimento de 7,1%.

O governo também revisou em alta os dados do crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) no segundo trimestre, que foi de 7,7%, três décimos a mais que na estimativa anterior.

Os dados confirmam a posição da Índia como detentora do maior crescimento entre as principais economias mundiais.

O governo do primeiro-ministro, Narendra Modi, aposta num crescimento de 7,6% no ano fiscal em curso, que termina no final de março.

A China, que durante anos funcionou como motor da economia mundial, se encontra em plena desaceleração.

O PIB chinês cresceu 6,8% no período outubro-dezembro e 6,9% em 2015, seu mínimo histórico nos últimos 25 anos.

Brasil e Rússia, que junto a China, Índia e África do Sul formam o grupo Brics de potências emergentes, se encontram em recessão.

Roberto Rocha analisa o panorama político local e nacional

Senador Roberto Rocha (PSB)

Raimundo Borges, O Imparcial – Entre o fim do recesso parlamentar e o recomeço do ano eleitoral de 2016, com o Congresso e o ambiente político efervescente em Brasília, o senador Roberto Rocha (PSB) falou, com exclusividade, a O Imparcial. Ele analisa o quadro político estadual, fala do impeachment de Dilma Rousseff, sua posição em relação a isso, com Edivaldo Júnior, com Flávio Dino e sobre o fim ou não do Grupo Sarney. Sem papas na língua, Rocha crava esta frase: “Morto é quem pensa que um grupo que tem o poder político de Sarney se acabou”.

O Imparcial – Senador, já é fevereiro do ano eleitoral. Como está a posição de seu partido, o PSB, em relação à disputa da Prefeitura de São Luís?
Roberto Rocha – Tanto na capital e nas cidades maiores, a nossa disposição é de ter candidatura própria. Evidente que vai ter lugar onde, por uma convergência, por uma circunstância, você termina por fazer aliança. Afinal, isso é da natureza da política. Não é uma regra militar do partido, pela qual tem que ter candidatura própria em todas as capitais. Tudo vai depender da realidade no momento das convenções.

E o deputado Bira do Pindaré, tem alguma chance de ser o candidato do PSB em São Luís?
Não sei. Não tenho falado com ele sobre candidatura. Na verdade, muito poucas vezes ele falou comigo sobre candidatura. Não sei a disposição dele de ser. O que eu vejo é pela imprensa.

O senador, como senador, logico, é o principal nome no partido no Maranhão.
Em São Luís o PSB, desde antes, era dirigido por mim. Então, o partido aqui tem estrutura consolidada. Era a única capital do Nordeste que não tinha nenhum vereador do PSB. Em 2012, passou a ter, com a eleição de Roberto Rocha Júnior. E a gente quer ampliar a bancada na Câmara. O prazo de filiação mudou agora para abril, então, até lá, teremos uma boa bancada. Fizemos uma sede boa do municipal, fica ali na Beira-Mar, pra poder dar melhor condição de trabalho para o pessoal do partido.

A relação com o prefeito Edivaldo Júnior como está?
Excelente. Hoje (4/2) mesmo eu estava com ele de manhã, vendo obras. E sempre faço isso quando posso e ele também.

Mas não foi discutida qualquer possibilidade de parceria, ou uma aliança PSB/PDT?
Em verdade, eu tenho procurado me voltar apenas para a discussão de política pública. Eu sempre tenho dito que política tem hora para os políticos, mas também tem hora que é para o povo. Por isso, o maior tempo tem que ser destinado ao mandato. Então, tem o mandato e tem a campanha. Então, quanto mais tempo você adiar a campanha, melhor pro mandato e pro povo.

Mas estamos no ano de eleição. O senhor acha que essa discussão pode ir até quando?
Até a convenção. Não tem indefinição. É decisão partidária. O PSB tem uma relação muito boa com alguns partidos em São Luís. E a gente tem buscado discutir, debater, para poder, na medida do possível, decidir em conjunto, ter mais força na decisão e a decisão ajudar nas definições.

Agora em 2016, a relação do senhor com o governador Flávio Dino tem dado o que falar nas redes sociais, que anda bastante estremecida…
De forma alguma. Falo com ele quase todo dia. Ontem mesmo falei com ele. Política tem muito disso, mas a gente já tem maturidade e estrada suficiente, para ter essa vacina contra fofocas. São pessoas que não veem o interesse da população. Não é porque hoje eu sou senador da República, não é porque ele é governador do estado, que cada um tem que seguir o seu caminho independente do interesse do povo. A campanha é outra questão. Em verdade, nós temos uma relação de parceria, não é por causa dele ou por causa de mim, mas da população, com quem nós temos compromisso. Agora, eu acho o seguinte: nós temos um mandato de senador, um mandato longo, de oito anos. Quando terminar o mandato do Flávio e da Dilma, o meu estará no meio, correto? Então é normal, em qualquer canto, um senador, no meio do seu mandato, ser um potencial candidato. Isso aos olhos da classe política.

O senhor, então, alimenta essa expectativa?
Não. Estou dizendo que é normal essa leitura, por isso a especulação. Acontece que o Maranhão não é acostumado a isso, a essa normalidade, porque, de algum modo os senadores do Maranhão sempre foram eleitos com uma idade mais avançada e com uma tradição de sair do executivo para o Senado. Agora, no meu caso, eu sou da mesma idade do governador, de partido diferente, e nunca fui do executivo. Todo mundo sabe que o meu desejo é esse. Tenho me preparado pra bem servir meu estado também no executivo, um dia. Então, normal que esse tipo de intriga seja fácil de ser alimentada. Cabe a nós estarmos vacinados pra não permiti-la.

Até porque essa relação é fruto de uma ruptura política que ocorreu em 2014 e mudou muita coisa em relação à política do Maranhão. E o senhor está inserido nisso…
Como é o jogo democrático, como a gente enxerga esse jogo? O jogo é político-eleitoral. Ele não é eleitoral-político. Ele tem começo, meio e fim. O eleitoral é fruto do político. Eu tenho dito sempre que tem o tempo da política e tem o tempo da campanha. Via de regra, eleição você ganha no tempo da política. A campanha é só para colher o que você plantou no tempo da política.

O senhor como participante dessa mudança que aconteceu em 2014, com a eleição ao Flávio Dino, qual a sua visão em relação a ele, dentro das expectativas criadas?
Eu acho que está num primeiro momento do governo, vamos começar agora um segundo momento. O primeiro é sempre o momento de maior euforia, que é a lua-de-mel, que no caso do Maranhão ela dura muito mais do que em qualquer outro estado. A ruptura demorou muito pra acontecer, então óbvio que o que entra, o novo, tenha muito mais tempo de lua-de-mel. Então, passou esse período, que é o período de adaptação. Agora o governo tem a oportunidade de efetivamente fazer as mudanças, colher aquilo que ele plantou em 2015, corrigir rumo, quando necessário. Afinal ele foi eleito para ser governador e governar. E eu fui eleito para ser senador. Ele exerce influência no meu mandato com o mesmo tamanho que eu exerço influência no mandato dele. Ele é sócio do meu mandato na mesma dimensão em que eu sou sócio do mandato dele.

Mas aí tem as questões da política nacional que se chocam. A posição de Flávio em contra o impeachment de Dilma e a posição do senhor é outra. Ou não?
Não. Eu sou de um partido que tem sete senadores. O partido tem uma posição de independência em relação ao governo federal. Ou seja, um partido que não faz parte da base do governo, tanto é que não tem cargo, nem ministério nenhum, e também não faz parte da oposição. A bancada sempre está livre, tem posição de independência, então a gente decide de acordo com cada ponto. Em 80% dos casos a gente vota de acordo com o interesse do governo. Mas não por causa do governo, é porque é interesse público.

O senhor acha que o Impeachment passa agora, com o reinício do período legislativo?
Quem é o povo que a presidente Dilma representa? É o mesmo que eu represento e é o mesmo que o governador Flávio representa. Então, porque que a gente tem que, em relação ao povo, caminhar em caminhos opostos? Não tem sentido. A campanha é outra questão. Não é hora de campanha. A gente tem que saber descer do palanque. Eu estive com a presidente da República e conversei uma hora e meia com ela no Palácio do Planalto. E resolvemos muitas coisas do Maranhão que levei pra ela. E ela me agradeceu o apoio que eu estou dando. Então não há divergência em relação a esse ponto com Flávio Dino. Nenhuma divergência. E acho que, tendo essa postura, eu estou ajudando a governabilidade no Maranhão. Ajudando o Flávio Dino.

É verdade que o senhor estaria propenso a voltar para o PSDB?
As pessoas falam demais e não me perguntam, como você está fazendo. Eu saí do PSDB por ato de vontade, eu tinha 16 anos de história no PSDB. Em 2010 eu acho que estava maduro o projeto do partido ter candidato a governador. O PSDB já tinha apoiado Jackson Lago algumas vezes. Eu pessoalmente cheguei à beira do sacrifício político em favor da campanha dele em 2002. Então acho que 2010 era o momento do PSDB ter o seu candidato, porque tinha candidato para presidente, prefeito de São Luís, de Imperatriz, e o deputado mais votado da história do Maranhão, que era eu.

O senhor nasceu dentro da política, filho de governador, foi deputado estadual e deputado federal. Analisando o quadro, hoje, o senhor acha que o grupo Sarney ainda está vivo. Se morreu, acha que pode ressuscitar na eleição em 2018?
Morto é quem pensa que um grupo que tem o poder político do grupo Sarney se acabou. Quem pensa isso nunca nasceu. Eu estou dizendo que, em política, quando você pensa que alguém se acabou, você vai ver que não acabou, porque política no fundo do poço tem mola. Se não teve um upgrade, é porque não chegou no fundo do poço ainda. No que você muda, a política bota alguém no lugar, porque política não tem espaço vazio. Eu respeito muito os meus adversários. Eu acho que isso é um princípio da arte da guerra: se conhecer e conhecer os seus oponentes. E acho até, posso dizer, que o principal responsável pela derrota do grupo Sarney em 2014, não foi Flávio Dino e nem Roberto Rocha. Foi o tempo. Quando a mudança não se dá por ação de um ou de outrem, ela se dá por ação do tempo. O tempo fez com que eles descansassem na formação de novos quadros. Roseana, na prática, cansou, fadigou, de tantos mandatos de governador.

PF investigará filho de Lula

Luis Cláudio Lula da Silva recebeu cerca de R$ 500 mil entre 2011 e 2013 do Corinthians sem ter desempenhado função no clube (Reprodução)

Folha ouviu cartola e mais oito pessoas que têm ou tiveram relação com o departamento de marketing, para o qual o filho de Lula teria trabalhado e garantem que nunca houve serviços realizados por ele

SÃO PAULO – Filho do ex-presidente Lula, Luis Cláudio Lula da Silva recebeu cerca de R$ 500 mil entre 2011 e 2013 do Corinthians sem ter desempenhado função no clube, de acordo com fontes ouvidas pelo jornal Folha de S. Paulo.

Dentre as fontes, está o economista e responsável pelo marketing do Corinthians de 2007 a 2012 Luís Paulo Rosenberg. “Não me lembro de nenhuma tarefa que ele tenha sido convocado para desenvolver ou que ele tenha realizado algo”, afirmou. O jornal ouviu mais oito pessoas que têm ou tiveram relação com o departamento de marketing, para o qual o filho de Lula teria trabalhado. Elas falaram em condição de anonimato e garantem que nunca houve serviços realizados por ele.

Os pagamentos do Corinthians para Luís Cláudio, que é investigado na Operação Zelotes, ocorreram entre 2011 e 2013 e coincidem parcialmente com o período da construção, com empréstimos federais, do estádio do clube no bairro de Itaquera, São Paulo, de 2011 a 2014. A coincidência de datas abrirá uma nova frente de investigação da Polícia Federal na Zelotes, de acordo com investigadores ouvidos pelo jornal.

O Corinthians foi o primeiro cliente da carreira de empresário de marketing esportivo de Luis Cláudio. O fato da Arena Corinthians ter começado a ser construída no mesmo período em que o filho de Lula mantinha vínculo com o clube é um dos indícios que será apurado em novas frentes de investigações da PF. O advogado de Luís Cláudio, Cristiano Zanin Martins, afirmou ao jornal que não queria fazer comentários à reportagem.

Semelhança com zika inflou casos de dengue no país em 2015

Aliny Gama
Colaboração para o UOL, em Maceió

No dia 15 de fevereiro de 2015, a Secretaria da Saúde da Bahia recebeu o alerta de que uma doença com sintomas que pareciam com os da dengue estava se espalhando pelo Estado. Foi a primeira notícia oficial no Brasil da então chamada Doença Exantemática Indeterminada. Pacientes chegavam às unidades de pronto-atendimento com sintomas parecidos com os da dengue, mas mais brandos. Nofinal de abril, os pesquisadores da UFBA (Universidade Federal da Bahia) confirmaram que se tratava da zika.

O desconhecimento em relação à nova doença pode ter inflado o número de casos de dengue em 2015 no Brasil –1,6 milhão ao todo. Segundo o infectologista e professor da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte), Kleber Luz, durante meses a semelhança entre as doenças levou médicos a notificarem os pacientes como casos prováveis de dengue.

O Ministério da Saúde (MS) confirmou que muitos dos casos oficiais de dengue podem, na verdade, se tratar de zika –já que nem todos os pacientes passam por exames laboratoriais. Além disso, até hoje, o país não tem à disposição um teste sorológico para identificar o vírus –há apenas um teste genético, chamado PCR, mais caro e demorado.

Estima-se que entre 500 mil e 1,5 milhão de brasileiros foram infectados pelo vírus da zika.

Zika foi encontrada em três mortos
A terceira morte no país de paciente com presença do vírus da zika no corpo teve diagnóstico para dengue. Uma jovem de 20 anos, moradora do Rio Grande do Norte, morreu em abril do ano passado e teve o óbito associado à dengue. Porém, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, o material coletado da paciente deu negativo para a doença e detectou a presença do zika.

“Esta confirmação é um achado importante, vai agregar dados à investigação do comportamento do vírus, porém ainda não é o momento de dizer que o vírus causou o óbito desta paciente; isso só poderá ser confirmado após uma investigação completa e cuidadosa. Nos preocupa o fato de a doença [zika] aparecer com um quadro sintomático leve e observarmos consequências mais sérias”, disse a coordenadora de Promoção à Saúde, Cláudia Frederico.

Até agora, três casos de morte com presença do zika foram confirmados no Rio Grande do Norte, Ceará e Maranhão. O RN tem outros 22 óbitos descartados para dengue e que estão sendo investigados para detectar a presença do vírus.

Cuidado com grávidas 
Os sintomas da dengue são febre constante por cinco a sete dias, dor articular, dores musculares, dor óssea e, ao final da doença, manchas vermelhas pelo corpo e coceira. Já a principal característica do doente infectado pelo vírus da zika são manchas avermelhadas, coceira intensa, inflamação nos olhos e febre branda (nem todos apresentam esse sintoma).

O médico destaca que é importante o diagnóstico correto das doenças porque a dengue é a que tem efeito mais grave, podendo levar a morte do paciente. No entanto, a exceção são as grávidas, desde que o vírus da zika foi associado à microcefalia.

“Quando se acha que é dengue, mas é zika não tem tanto problema porque o tratamento é mais severo para a primeira. Porém, o problema está no diagnóstico de zika sendo o paciente com dengue ou chikungunya. A doença pode evoluir para o caso mais grave, de dengue hemorrágica ou síndrome de Guillain-Barre, por não está recebendo o tratamento de maneira efetiva para a dengue ou chikungunya”, diz Luz.

Luis Fernando participa de inauguração com Flávio e Gil Cutrim

luis Fernando inauguração estrada do socorrão II (3)

Atendendo a um convite do governador Flávio Dino (PCdoB), o ex-prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (PSDB), participou na manhã deste sábado (06) da inauguração da obra de pavimentação da Avenida Tancredo Neves, mais conhecida como Estrada do Socorrão II, localizada na região limítrofe entre São Luís e São José de Ribamar.

O evento contou com a participação do prefeito Gil Cutrim, de deputados estaduais, secretários do governo e dos dois municípios envolvidos e de lideranças comunitárias.

Para o ex-prefeito, a obra é de extrema importância não só para São José de Ribamar e São Luís, como também para o município de Paço do Lumiar.

“Trata-se de uma importante obra para esta região. É claro que deveria ser uma obra de responsabilidade dos municípios, mas o governador estendeu sua mão amiga e, vendo a impossibilidade dos municípios realizarem, decidiu fazer esta obra de pavimentação com drenagem superficial e sinalização horizontal e vertical”, destacou o Luis Fernando.

Durante entrevista concedida aos jornalistas, o ex-prefeito fez questão de agradecer também ao secretário Clayton Noleto (Infraestrutura do Estado) pela execução dos serviços e ao secretário Márcio Jerry (Assuntos Políticos e Comunicação) pela articulação de ações em benefício de São José de Ribamar.

Com parceria do deputado Ricardo Rios, começa hoje carnaval de Vitória

carnaval vitoria (2)

Numa parceria de prefeitura, governo do estado e deputado estadual Ricardo Rios começa hoje em Vitória do Mearim o carnaval que tem se destacado nos últimos sete anos como um dos mais animais e seguros da região. A festa só termina na madrugada de quarta-feira e conta com grande variedade de atrações, a exemplo de Dhean Brito e Banda Mix, Minhas Divas do Forró, Juninho e Banda e Willey Gomes, que se apresentam hoje para grande público, a partir das 16h, nos palcos da cidade.

“Como vem acontecendo nos últimos anos, temos certeza que mais uma vez faremos uma grande festa”, garante Ricardo Rios, que, além de ver no carnaval um momento de descontração, diversão e alegria, chama a atenção para o seu caráter gerador de oportunidades de trabalho e renda. “No nosso carnaval todos ganham. Não só os foliões, que tem animação garantida, mas nossos empresários, que podem ampliar seus lucros uma vez que a economia aquece na temporada”, diz o deputado.

Confira a programação completa.

CARNAVAL DE VITORIA DO MEARIM 2016

8 ANOS DE ALEGRIA E GRAÇA NO CARNAVAL DA PRAÇA!

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

SÁBADO
16h00- DHEAN BRITO E BANDA MIX
18h00 – MINHAS DIVAS DO FORRÓ
22h00 – JUNINHO E BANDA
00:00 – WILLEY GOMES

DOMINGO:
16h00- BANDA AFINIDADE
18h00 – MENINOS DO PAGODE
22h00 – MULEQUE DOIDO
00:00 – OS CANGAS DO FORRÓ

SEGUNDA:
16h00- MC AUGUSTO PODEROSO
16h30 – MAGNO ROBERTO E PEGADA DOS PRIMOS
22h00 – MASTRUZ COM LEITE
00:00 – BANDA DIBACANA

TERÇA:
16h00- SWING SENSUAL
18h00 – BANDA GIRIA DE RICO
22h00 – RAYANE STEFANE E BANDA
00:00– FORRÓ SACODE

Flávio Dino e Gil Cutrim inauguram nova Estrada do Socorrão II‏

socorrao 4 (2)

O governador Flávio Dino (PC do B) e o prefeito Gil Cutrim (PDT) inauguraram neste sábado (06), durante uma grande festa popular, a nova Avenida Tancredo Neves, popularmente conhecida como Estrada do Socorrão II.

A solenidade contou com as presenças de várias lideranças políticas e comunitárias de São José de Ribamar, dentre elas o deputado Glalbert Cutrim (PDT); o ex-prefeito Luis Fernando; deputados federais; e vereadores.

A execução das obras de drenagem profunda e pavimentação, em um trecho de cerca de um quilômetro localizado no território do município de São José de Ribamar, foram solicitações feitas por Cutrim ao governador ainda no ano passado e figuravam como uma das principais reivindicações dos moradores desta região do município.

“Hoje, a Estrada do Socorrão II está maravilhosa. Com a obra de drenagem, não mais teremos que conviver com os constantes alagamentos e buracos. Queremos agradecer o prefeito Gil Cutrim e o governador Flávio, que uniram forças e executaram este importante trabalho”, afirmou o comerciante José Feitosa Lima, morador da Vila Cafeteira e que utiliza a Tancredo Neves diariamente.

Gil Cutrim agradeceu o apoio do Governo do Estado. De acordo com o prefeito, ao atender um importante pleito da população e da classe política ribamarense, o governador mostrou, mais uma vez, que tem compromisso com a cidade.

“Muito em breve, tenho certeza, estaremos juntos, eu e o governador, anunciando mais ações no setor da mobilidade urbana que, em muito, irão contribuir com o desenvolvimento de São José de Ribamar e melhoria da qualidade de vida do povo”, disse Cutrim.

A afirmação do prefeito foi ratificada pelo próprio Flávio Dino. Segundo o governador, a administração estadual sempre estará de mãos dadas com as Prefeituras da Grande Ilha objetivando implementar novas políticas públicas que promovam o desenvolvimento das cidades e de suas populações.

Deputado maranhense se deu voz de prisão. Motivo? Queria ver Dilma

hildo-rocha

É mesmo um Congresso pitoresco, circo sem picadeiro.

O deputado federal Hildo Rocha (PMDB-MA) se deu voz de prisão na Casa. Isso mesmo – e pelo ocorrido, seus pares não deixaram de ironizá-lo.

Na última terça-feira, ao saber que o motorista e assessor foram detidos pela Polícia Legislativa numa confusão, Hildo Rocha, aliado da família Sarney, se apresentou ao chefe da Polícia no Senado e, ao ter pedido de soltura da dupla negado, declarou: “Então eu me prendo!”.

E Hildo ficou na sala-cela com os subordinados, de braços cruzados e beiço, até pegar o telefone e ligar para o “advogado” Renan Calheiros (presidente do Senado).

Ocorreu o seguinte: na pressa para ver a incompetente e desgastada presidente Dilma Rousseff na sessão de abertura do Ano Legislativo, o deputado Hildo Rocha ordenara ao motorista que furasse o bloqueio da viatura da Polícia Legislativa já no perímetro do Congresso, e ele desviou o carro passando pelo gramado.

Hildo subiu correndo, mas os assessores foram detidos em seguida. O impasse só terminou, sem auto de infração, com o ‘habeas corpus’ concedido pelo presidente do Congresso, após a ligação do aliado, e a Polícia Legislativa os liberou, mesmo contrariada. Com informações de Leandro Mazzini, na Coluna Esplanada.

Weverton Rocha: “O Edivaldo tem 56% de popularidade e 10 partidos”

????????????????????????????????????

Em entrevista concedida ao jornalista Gil Maranhão, da Agência de Notícias Política Real, o deputado federal Weverton Rocha afirmou que o prefeito Edivaldo tem total condições de se reeleger.

De acordo com Rocha, o prefeito de São Luís obteve uma recuperação “impressionante” nos últimos seis meses, permitida por meio de uma aliança real e concreta com o Governo Flávio Dino e o Governo Federal. “Mesmo o Brasil em crise e em período de recessão, o prefeito Edivaldo Holanda consegue restabelecer essa relação de gestão política dentro de São Luís. E tem a gestão administrativa”, avaliou.

Ainda segundo Weverton Rocha, a militância do PDT e dos outros partidos será decisiva para a reeleição de Edivaldo.

Ele fecha o ano, por exemplo, com aprovação de 56% da sua administração. E partidariamente, ele fecha o ano com um bloco de mais de 10 partidos, que estão prontos para seguir com ele no seu projeto de reeleição. Hoje ele tem um grupo grande de partidos, tem um grupo político e sem falar do seu partido. O PDT, inegavelmente todos sabem, que consegui até hoje se renovar e manter a sua militância partidária. Então, o Edvaldo sai para a campanha de reeleição com uma militância invejável, que vai para rua cada um sendo o próprio candidato. Ou seja, ele terá um batalhão de candidatos na cidade, que vão estar lutando para construir esse processo vitorioso“, garante o deputado.

Na opinião do parlamentar pedetista,  o mais importante de tudo será a análise do eleitor. “Muitos torcem no fracasso do gestor para que o eleitor tire ele. Mas este ano, o eleitor vai chegar mais conservador nas urnas, porque ele está vendo a crise e que ninguém faz milagre. Crise, para você resolver o problema é preciso ter dinheiro em caixa. E ninguém vai querer partir para aventura. As pessoas vão precisar ter segurança política e segurança administrativa, para saber qual é o próximo passo da gestão de sua cidade”, concluiu Weverton.

Detran-MA intensifica operação Lei Seca no Carnaval‏

O Governo do Estado, por meio do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) deu início, nesta sexta-feira (05), as ações preventivas por mais segurança no trânsito no período de Carnaval em São Luís e no interior do Estado. Foi realizada uma blitz educativa no terminal Ponta da Espera, de onde saem os ferries boats em direção à região da Baixada Maranhense.

Foto 1 - Detran-MA intensifica operação Lei Seca no Carnaval (2)

O objetivo das ações é alertar os condutores sobre os riscos, em qualquer circunstância, de dirigir após o consumo de bebidas alcoólicas e fazer cumprir a Lei 11.705, conhecida como Lei Seca.

A blitz realizada na Ponta da Espera contou com a parceria da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) e da seguradora Porto Seguro. Enquanto aguardavam o embarque, os motoristas, parados na blitz, ganharam brindes, além da cristalização do para-brisas e troca de eventuais lâmpadas queimadas do carro.

“A parceria com o Detran teve o objetivo de conscientizar os motoristas da importância da revisão do carro antes de pegar a estrada. A prevenção pode salvar vidas”, orienta a supervisora administrativa da Porto Seguro, Mirela Muniz Magalhães.

A assistente administrativa, Adriana Helena Silva, aprovou a iniciativa. “É importante a realização de campanhas educativas neste período, pois, no Carnaval, muitas pessoas bebem e dirigem sem responsabilidade. Temos que ter consciência que somos responsáveis pela nossa segurança e, também, pela dos outros”.

Neste sábado (06), a blitz educativa volta ao Terminal da Ponta da Espera e será executada, também, durante os quatro dias de Carnaval no Corredor da Folia e na Passarela do Samba, em São Luís.

Interior do Maranhão

Nas cidades do interior do Maranhão, o trabalho educativo feito pelo Detran-MA no período de Carnaval começou há duas semanas com a realização de blitzen educativas e fiscalizatórias pelo cumprimento da Lei Seca. Este ano, o trabalho de fiscalização da Lei foi reforçado com a inclusão de mais cinco cidades.

Ao todo, 18 municípios, situados em regiões estratégicas do estado, vão ter operações da Lei Seca no Carnaval. Antes do início do Carnaval, as blitzen da Lei aconteceram nas cidades de Barra do Corda, Grajaú, Açailândia, Imperatriz, Balsas, Itapecuru-Mirim e São João dos Patos.

“Tradicionalmente, as cidades do interior são a principal opção dos foliões para pular ou descansar no Carnaval. Este ano, ampliamos o número de cidades a serem fiscalizadas, a fim de proporcionar mais segurança aos brincantes e reduzir a possibilidade de acidentes”, destaca o diretor geral do Detran-MA, Antonio Nunes. “A participação de cada cidadão é importantíssima, por isso, se for beber, vá de taxi, vá de van, vá de busão, vá de carona, só não vacile arriscando dirigir embriagado”, afirmou.

Página 1 de 1.26612345...102030...Última »