São Luís - MA Parcialmente Nublado 24°C 32°C

Exata: a um mês da eleição, Flávio mantém vantagem de 30 pontos

pesquisaexataguara (2)

Divulgada nesta terça-feira mais uma pesquisa Exata/TV Guará/Fiema e os dados confirmam o que as últimas pesquisas vêm apurando: a vitória do candidato da coligação Todos Pelo Maranhão, Flávio Dino com 55% dos votos. A última pesquisa Exata foi divulgada no dia 16 de agosto e já mostrava Flávio Dino na liderança com 30 pontos de vantagem.

O candidato apoiado pelo grupo Sarney, o suplente de senador Lobão Filho (PMDB), aparece em segundo lugar, com 25% dos votos. Mesmo com o início do programa eleitoral, Edinho não conseguiu subir em relação à última pesquisa, quando tinha 26%.

Lobão Filho (PMDB) aparece em segundo lugar, com 25% dos votos. No levantamento anterior, ele aparecia com 26%. Zé Luis Lago (PPL) tem 2%; Saulo Arcangeli (PSTU), Pedrosa (PSOL) e Prof. Josivaldo (PCB) têm 1% cada um.

De acordo com a pesquisa Exta/TV Guará, votos nulos e brancos somam 8%. Os eleitores que não sabem ou não responderam pontuam 7%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 28 de agosto, quando foram ouvidas 1.400 pessoas em 45 municípios maranhenses escolhidos aleatoriamente, mas contemplando as quatro regiões do Estado e a ilha de São Luís. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

Na sondagem espontânea, Flávio Dino subiu de 30% para 34%. Lobão Filho que aparecia com 13% das intenções de voto, agora tem 14%. A pesquisa espontânea é aquela na qual não é apresentada a lista com o nome dos candidatos. Nesse caso o nome da governadora Roseana Sarney (PMDB) foi lembrado por 1% dos entrevistados.

Na consulta sobre a rejeição dos candidatos, Lobão Filho reduziu um ponto percentual, baixando de 39% para 38%. Flávio Dino também diminuiu sua rejeição de 16% para 15%.

A pesquisa avaliou as intenções de voto para governador e senador e está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo MA – 00038/2014. Também foi observada a intenção de voto para presidente da República, com registro no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR – 00482/2014.

No Maranhão, Dilma tem 48,7% e Marina Silva 31,9%

Pesquisa mostra acentuada queda de Dilma no Maranhão

Jornal Pequeno - Pesquisa do Instituto Data M contratada pelo jornal Atos e Fatos revela que a candidatura à reeleição da presidente Dilma sofreu um duro golpe, no Maranhão, com o surgimento da candidatura de Marina Silva. A presidente obteve 48,7% das intenções de votos, o menor índice apurado até agora. Marina Silva apareceu em segundo, com 31,9% e Aécio baixou a 8,7% das intenções de voto.

O relatório da pesquisa mostra que a queda de Dilma se deu, sobretudo, nos centros urbanos, onde ela aparece também com elevada rejeição. E o relatório analítico aponta, segundo cruzamento feito, um impacto negativo dela com o avanço da campanha pelo governo do estado. “A utilização do nome da presidente Dilma pela candidatura de Lobão Filho, que não consegue crescer com a rapidez e consistência necessárias, acaba por fragilizar a candidatura presidencial”, aponta.

Mas o fator principal, aponta o relatório, é o “fenômeno Marina, que avançou num primeiro momento sobre indecisos e muito rapidamente sobre Aécio e também Dilma”. A pesquisa do DATA M foi realizada no período de 23 a 26 de agosto e está registrada com o protocolo BR-00467/2014.

A candidata Andrea Murad finge não saber…

Baixa Motocada, Carreata em São Luis (159)

A candidata a deputada estadual Andrea Murad (PMDB), filha do todo poderoso secretário Ricardo Murad (Saúde), não contou a história como de fato ela é sobre o ambulatório e a clínica para tratamento de câncer do governo do estado.

Na inserção que foi ao ar ontem, no seu programa eleitoral, Andrea Murad disse que o candidato a governador Flávio Dino faltou com a verdade ao ter mostrado que o ambulatório e o hospital estavam sem funcionar.

Realmente não funcionavam, como bem denunciou Flávio Dino.

A filha do secretário Ricardo Murad, que poderia ter falado de propostas mas preferiu atacar o candidato da oposição, não explicou o motivo de o estado ter pago quatro parcelas de R$ 30 mil a um prédio residencial de propriedade do candidato Lobão Filho e nele não funcionar nenhum serviço para tratamento de câncer.

Caso a bancada de oposição não tivesse feito a denúncia, o prédio de Lobão Filho até hoje estaria fechado, recebendo recursos públicos sem prestar nenhum serviço à população. Será que Andrea Murad é conivente com tamanha imoralidade? O que tem a dizer?

Curioso que um dia após a denúncia, que ganhou grande repercussão negativa, logo providenciaram placas e equipamentos para o local.

Ou seja, iniciou o período de campanha eleitoral e trataram de dar um “jeitinho”.

Só na última segunda-feira (25) deram um jeito de transformar o Hospital Dr. Tarquínio Lopes Filho (Geral) em um centro para tratamento de pacientes oncológicos no estado.

Tudo depois de a oposição desmascarar a farsa.

Portanto, Flávio falou a verdade. Fez o que era correto. Na condição de cidadão e candidato comprovou o desperdício de dinheiro.

Essa é a verdade que Andrea Murad (já viram como ela faz carreatas em cima de um carro de luxo conversível?) finge não saber. Fica aqui o desafio para ela, no seu próximo programa, explicar melhor o caso.

Delegados de polícia do Maranhão vão paralisar atividades por 48 horas

Blog do Gilberto Lima

Os delegados da Polícia Civil do Maranhão paralisam suas atividades por 48 horas nos próximos dias 03 e 04. A informação foi passada ao blog, na manhã desta terça-feira(02) pelo delegado Aldir Teixeira, integrante da ADEPOL.

Os delegados alegam que o governo de Roseana Sarney deu as costas para a categoria, ao não sinalizar com a possibilidades de atender diversas reivindicações da categoria.

Aldir diz que os delegados trabalham em condições precárias, principalmente no interior, onde delegacias foram transformadas em depósitos de presos. Além disso, o governo se nega a realizar concurso, pois há carência de delegados em todo o Estado.

“O governo do Estado também se nega a pagar os precatórios, já determinado pela Justiça. Não temos como ficar apáticos diante de todo esse descaso. Por isso, a paralisação de advertência por 48 horas”, acrescenta Aldir Teixeira.

Na manhã desta quarta-feira(03), os delegados reúnem a imprensa em um café da manhã, a partir de 8h, na sede da ADEPOL, na Rua da Palma, no Centro.

Direito de Resposta

Por Carlos Eduardo Lula

06/05/2011. Crédito: Neidson Moreira/OIMP/D.A Press. Brasil. São Luís - MA. Carlos Eduardo Lula, advogado.

A partir da escolha de candidatos em convenção, é assegurado o direito de resposta a candidato, partido ou coligação atingidos, bem como terceiros, ainda que de forma indireta, por conceito, imagem ou afirmação caluniosa, difamatória, injuriosa ou sabidamente inverídica, difundidos por qualquer veículo de comunicação social, quais sejam, imprensa, rádio, televisão e internet.

Não é possível, portanto, direito de resposta de ofensas havidas em comício, em discursos de rua ou em conversas com eleitores. Em tais situações, pode-se propor ação de indenização por dano moral ou à imagem, uma vez que o texto constitucional assegura o direito de resposta, proporcional ao agravo, além de indenização por dano material, moral ou à imagem.

Note-se, por outro lado, que o art. 58 da lei das eleições não faz referência a terceiro, mas apenas a candidato, partido ou coligação. O TSE, contudo, sempre admitiu a intervenção de terceiros como legitimados a pleitear direito de resposta. Na verdade, entendia doutrina e jurisprudência, qualquer pessoa, seja física, seja jurídica, que se ache ofendida pode invocar o direito de resposta, desde que a ofensa ou a inverdade seja veiculada no horário de propaganda eleitoral gratuita.

Ou seja, quando terceiro se considerasse atingido por ofensa realizada no curso de programação normal das emissoras de rádio e televisão ou veiculado por órgão da imprensa escrita, deveria procurar a Justiça Comum, competindo à Justiça Eleitoral o exame dos pedidos de direito de resposta formulados por terceiro em relação ao que veiculado no horário eleitoral gratuito, observados os prazos do art. 58 da Lei das Eleições.Todavia, nas eleições de 2010 o Tribunal reviu, ainda que por maioria seu posicionamento, asseverando que terceiro, que não seja candidato, partido político ou coligação, não tem legitimidade para requerer direito de resposta por suposta ofensa que lhe tenha sido deferida em propaganda eleitoral.

Já para candidatos, partidos e coligação, basta que a ofensa tenha repercussão eleitoral, podendo mesmo ocorrer em espaço comercial, fora do horário eleitoral. Deferida a resposta, esta deve ser veiculada à custa daquele que comprou o espaço no veículo de comunicação social. Eventualmente, a emissora pode ser responsabilizada, cobrando posteriormente do cliente o custo equivalente ao uso do tempo para resposta.

Para haver direito de resposta, é necessário que haja, ainda que de maneira indireta, ofensa decorrente de divulgação de afirmação caluniosa, injuriosa ou sabidamente inverídica. Afirmação sabidamente inverídica é aquela evidentemente falsa, sobre a qual não recai qualquer dúvida quanto à não veracidade. Afinal, não se pode transformar o pedido de resposta em processo investigatório com intuito de comprovar a veracidade das versões controversas sustentadas pelas partes. Dados quanto ao número de empregos criados, por exemplo, de três ou quatro milhões, merecem debate político, mas nunca a intervenção do Judiciário a fim de se conceder direito de resposta.

Já quanto à distinção entre injúria, calúnia e difamação, faz-se necessário distinguir o campo eleitoral da seara penal. É que os conceitos do Direito Penal não possuem aplicação rígida na seara eleitoral, sendo natural, para não dizer corriqueiro, a crítica contundente e ácida entre adversários políticos. A crítica, ainda que veemente ou descortês, impolida até, caso não se torne insulto pessoal ou imputação de conduta penalmente relevante, não enseja direito de resposta, sendo comportamento lícito no jogo das eleições. Por vezes, lançada a crítica em tom de piada, fica ainda mais evidente o caráter legal da conduta. O intuito não é agredir o candidato, mas destacar o erro da posição adotada pelo adversário. Não se deve buscar o mero sentido gramatical da expressão, mas o contexto em que ela foi utilizada no debate político. Caso assim não ocorresse, estar-se-ia criando rígidas regras de conduta, que não se ajustam ao jogo democrático. Pode-se, por exemplo, chamar de “mentirosa” as promessas do candidato adversário sem que isso constitua motivo para a concessão do direito de resposta. Também por esse motivo, a mera opinião desfavorável acerca do desempenho do administrador fica dentro da crítica política que é admitida.

Carlos Eduardo Lula é Consultor Geral Legislativo da Assembleia do Maranhão, Advogado, Presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB/MA e Professor Universitário. e-mail:[email protected]

Deputados cobram explicações sobre propinas em malas pretas

O líder do Bloco Parlamentar de Oposição (BPO), Rubens Pereira Jr. (PCdoB), e o deputado Marcelo Tavares (PSB) cobraram do Governo do Estado, na sessão desta terça-feira (2), explicações sobre supostas propinas em malas-pretas, por conta de pagamento de precatórios da Constran.

Quem primeiro falou sobre o assunto foi o líder do BPO, que voltou a explorar o tema das malas-pretas recebidas de propina do doleiro Alberto Youssef, ao acusar que o governo não estaria respondendo as denúncias feitas pelos parlamentares.

“Nenhuma palavra, nenhuma explicação. E essa denúncia vem sendo reafirmada de forma reiterada em todos os veículos nacionais de comunicação. Confirmado: o que tinha dentro da mala preta era dinheiro. Esse dinheiro servia para pagar propina para liberar o pagamento do acordo extrajudicial feito com a Constran”, afirmou Rubens Jr.

O deputado do PCdoB explicou que não havia decisão judicial. “O que houve foi um acordo extrajudicial. Não se trata de precatório, se trata de um acordo, um acordo obscuro, um acordo que prejudica o Estado do Maranhão. Ainda colocaram o Tribunal de Justiça no rolo e o Tribunal de Justiça disse: “eu não autorizei ninguém a fazer pagamento”’, revelou.

Já Marcelo Tavares contou que a dívida da Constran diz respeito a uma obra reconhecida como feita no Governo de Edison Lobão, com o parecer da Procuradoria do Estado, na época Milson Coutinho, dizendo que a obra não foi feita e que não havia nos autos provas de que a obra havia sido construída.

“Mesmo assim, o governo de Edison Lobão reconheceu a obra e praticamente deu ganho de causa à construtora. E agora foi feito um acordo e, como muito bem disse o deputado Rubens Júnior, o governo não diz nada: nem o motorista que foi pegar o pacote o governo tem coragem de demitir, até porque não poderia demitir só o motorista, teria que demitir todos os envolvidos, e aí ia embora pelo menos a metade do governo”, denunciou.

19 vereadores de São Luís confirmam apoio à candidatura de Flávio Dino

Reuniao_vereadores

Quinze vereadores e o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, estiveram reunidos com os candidatos da Coligação Todos pelo Maranhão, Flávio Dino, Carlos Brandão e Roberto Rocha na noite desta segunda-feira (01/09) para reafirmar apoio às candidaturas da oposição. Outros quatro vereadores da capital não puderam estar presentes, mas confirmaram apoio aos nomes de Flávio e Roberto.

Os vereadores esclareceram que abraçam a candidatura de Flávio Dino porque acreditam que com ele os municípios do Maranhão serão tratados com isonomia.

“Um dos pleitos nosso é que os municípios do Estado, inclusive São Luís, sejam tratados com igualdade. Quanto mais parcerias e convênios receberem as prefeituras, mais benefícios terão os cidadãos. Acreditamos que isso vai acontecer com Flávio Dino, Brandão e Roberto Rocha”, disse o vereador José Joaquim.

Os vereadores disseram que o apoio a Flávio Dino vem ainda do abandono a que o governo do Estado tem submetido a capital maranhense. Segundo eles, a capital não tem sido contemplada com convênios. “O governo tem celebrado convênios e feito parcerias institucionais com vários municípios, esquecendo São Luís. Eu tenho certeza que, com Flávio Dino, governo e prefeitura irão trabalhar juntos em prol do cidadão”, disse o vereador Osmar Filho.

De casa em casa

Os vereadores demonstraram animação e confiança nas propostas de Flávio Dino e prometeram levar as mensagens do candidato a governador de casa em casa na cidade de São Luís. “Na comunidade, na escola, na igreja, nas feiras, nas ruas, onde estivermos, vamos levar essa mensagem, de casa em casa vamos falar de um só propósito: o da mudança”, confirmou o vereador Alencar Gomes.

Agradecendo a mobilização dos vereadores em prol do projeto de mudança, Flávio Dino reafirmou seus compromissos com São Luís e com os municípios do Maranhão. “Estou aqui para reafirmar meus compromissos de ajudar a cidade de São Luís e agradeço a disposição dos vereadores de levar essa mensagem aos segmentos que representam”, disse Flávio Dino.

O vereador Batista Matos também falou do seu empenho para eleger Flávio Dino e Roberto Rocha. “Estaremos juntos somando nesse propósito de eleger Flávio Dino governador e Roberto senador para que São Luís e todos os municípios do Maranhão tenham um governador aliado e parceiro para que numa grande força política possamos conduzir São Luís para um momento de progresso”, afirmou.

Sobre isso, o vereador Marlon Garcia explicou que a população de São Luís só tem a ganhar com esta parceria. “Essa parceria de dezesseis vereadores pra levar Flávio Dino ao governo do Estado será de grande valia para São Luís”, confirmou.

Contato direto com a população

Presente na reunião, o prefeito de São Luís, Edivaldo Júnior, ressaltou a importância do encontro por também representar uma proximidade ainda maior de Flávio Dino e Roberto Rocha com a população da capital. “Tivemos a oportunidade de reunir os vereadores e reforçar o apoio às candidaturas. São eles que estão na base, têm uma força muito grande na cidade, em contato direto com a população”, disse.

Edivaldo reafirmou ainda a confiança que possui em Flávio Dino para realizar um governo que trate com igualdade os municípios. “Não tenho dúvida alguma que ele irá governar com a prefeitura, irá trabalhar por São Luís, faremos grandes parcerias para a nossa cidade”, continuou.

Participaram do ato de apoio os vereadores José Joaquim (PSDB), Pavão Filho (PDT), Osmar Filho (PSB), Chaguinhas (PSB), Roberto Júnior (PSB), Fátima Araújo (PRP), Alencar Gomes (PDT), Ivaldo Rodrigues (PDT), Barbosa Lages (PDT), Gutemberg (PSDB), Estevão Aragão (SD), Marlon Garcia (PTdoB), Beto Castro (PROS), Batista Matos (PPS) e Anderson Martins (PRB). Os vereadores Sérgio Frota(PSDB) e Eidimar Gomes (PSDB) justificaram ausência, mas reafirmaram o apoio. A esse grupo se soma ainda os vereadores do PCdoB, Professor Lisboa e Rose Sales.

Coordenador da campanha de Aécio fala em apoio a Marina e irrita PSDB

Folha de São Paulo – Uma declaração do coordenador-geral da campanha do tucano Aécio Neves irritou a cúpula do PSDB e o próprio candidato. Na tarde desta segunda-feira (1º), Agripino Maia (DEM-RN) disse esperar que Aécio apoie Marina Silva (PSB) em um eventual segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff (PT).

Em sua avaliação, considerada “desastrada” e “infeliz” por pessoas próximas a Aécio, Agripino disse que o objetivo maior da coligação do tucano é “derrotar o PT”.

“O PSB tem afinidades muito antigas conosco, desde o tempo do Eduardo Campos. O inimigo maior a ser batido é o PT. Tanto pode dar Aécio apoiando a Marina quanto o contrário”, afirmou.

Diante da repercussão negativa de sua fala, o coordenador da campanha divulgou uma nota em que afirma que “todo o esforço que os partidos que apoiam a candidatura de Aécio se volta para levá-lo ao segundo turno e temos a convicção de que nele estaremos”. “Alianças para o segundo turno serão discutidas quando o segundo turno vier”, afirmou.

A fala de Agripino trouxe desconforto a Aécio, que já vem lidando com uma agenda negativa nos últimos dias, desde que apareceu em terceiro lugar nas pesquisas, quase 20 pontos percentuais atrás de Dilma e Marina, que estão empatadas.

A Folha apurou que Agripino telefonou para Aécio tentando se justificar e dizer que foi mal interpretado. Aécio, em contrapartida, não escondeu sua contrariedade.

Após o debate promovido nesta segunda pela Folha, Uol, SBT e Joven Pan, questionado por jornalistas sobre o assunto, o candidato afirmou: “Isso não é verdade”. “Eu pretendo estar no segundo turno e ganhar a eleição.”

No entorno do tucano, as críticas variaram de tom, mas não houve quem aprovasse a fala. A avaliação é que Agripino, ainda que bem intencionado, acabou agravando a sensação de que há uma crise na campanha e que Aécio já não tem mais chances de vencer a eleição.

Pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira (29) mostrou Marina empatada numericamente com Dilma na disputa pelo Palácio do Planalto. As duas candidatas têm 34% das intenções de votos, seguidas por Aécio, com 15%.

O resultado cristalizou na campanha tucana a sensação de que é preciso subir o tom contra Marina e “politizar o debate”, estratégia que começou a ser executava nos programas eleitorais exibidos no último sábado (30).

MAIORIDADE PENAL

Antes de ir ao debate, Aécio anunciou que irá apresentar seu programa de governo na semana que vem.

Ele adiantou que, além da criação de um Ministério da Segurança, o programa irá apoiar um projeto de seu vice, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), que abre a possibilidade de a Justiça aplicar o Código Penal a adolescentes de 16 e 17 anos.

Segundo Aécio, trata-se de uma proposta “intermediária” entre o que há hoje e a mera redução da idade penal para 16 anos. Pelo projeto de Aloysio, o adolescente infrator de 16 ou 17 anos só responderia pelo Código Penal em casos de crimes considerados hediondos, após uma autorização específica de um juiz.

“Chega a ser obsceno o número de assassinatos que vem ocorrendo anualmente no Brasil: 56 mil apenas no ano passado”, disse Aécio.

Questionado sobre o total de crimes cometidos apenas por menores de 18 anos, Aécio respondeu: “Cerca de 30 mil [assassinatos] são de jovens de até 39 anos de idade”.

“Essa proposta incidiria sobre um número entre 1% e 1,5% dos jovens que cometem algum tipo de crime”, disse.

Apenas oito vereadores com Lobão Filho

Apenas oito vereadores de São Luís participaram da caminhada do candidato Lobão Filho (PMDB), realizada ontem (1) na Vila Palmeira.

Estiveram presentes os vereadores Astro de Ogum, Barbara Soeiro, Rômulo Franco, Sebastião Albuquerque, Nato, Armando Costa, Chico Carvalho e Pereirinha.

Um deles até ameaçou apoiar Flávio Dino como forma de pressionar o grupo Sarney, porém ao que tudo indica sua “demanda” com a oligarquia já foi resolvida.

O cidadão, depois de dizer que estava inclinado a apoiar Dino, mudou de ideia e bastou uma conversa daquelas para agora dizer que agora é sarneisista desde criancinha.

De todo modo, pode ser avaliado como muito ruim a presença de apenas oito de 31 vereadores da Câmara de São Luís junto com Edinho. E o número razoável de pessoas que participou da caminhada fazia parte da forte militância do vereador Astro.

Aumento de passagens nos ferryboats‏

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) foi à tribuna, na sessão desta segunda-feira (01), para protestar contra o aumento abusivo das passagens dos ferryboats que passaram de R$ 8,00 para R$ 11,00 sem oferecer serviços de qualidade aos usuários. Segundo o parlamentar, o atendimento, as condições não melhoraram e o governo Roseana Sarney ainda autorizou um reajuste inadmissível.

othelino tribuna (5)

“O serviço não melhorou, fizemos a audiência pública, discutimos o assunto, realizamos reunião aqui na Assembleia, os donos das empresas se comprometeram, mas, para a nossa surpresa, além das condições não terem melhorado, continuamos tendo um péssimo atendimento e a passagem do ferryboat está mais cara”, protestou Othelino Neto da tribuna.

De acordo com o deputado do PCdoB, a passagem do ferryboat passou de R$ 8,00 para R$ 11,00, penalizando justamente aquelas pessoas que utilizam o serviço, os passageiros e os que têm renda menor e mais dificuldade para pagar os valores. “E o que justifica esse aumento se os serviços só pioram?”, interrogou o deputado do PCdoB na tribuna da Assembleia Legislativa.

Para Othelino Neto, o governo do Maranhão, por meio da Empresa de Administração Portuária (Emap), afrontou a população de São Luís e da Baixada ao autorizar o aumento. “Então, merece, mais uma vez, o nosso repúdio, o nosso protesto, por conta da irresponsabilidade que é conceder um reajuste neste momento, penalizando a população, principalmente quando o serviço do ferryboat só piora e o atendimento ali aos usuários chega a ser desrespeitoso”, afirmou.

O deputado disse que esperava que o governo do Maranhão exigisse a melhoria da qualidade do serviço e não que desse um presente de grego à população de São Luís e da Baixada Maranhense com o aumento do preço das passagens. “Nós estamos pagando mais caro por um serviço cada vez pior”, frisou.

Problema recorrente – No mês passado, Othelino Neto já havia cobrado, mais uma vez, as empresas que prestam serviço de ferryboat no Maranhão e o governo do Estado por conta do problema recorrente e das reclamações constantes dos usuários. Ele representará contra a Internacional Marítima e a Serviporto, junto ao Ministério Público, para que adotem as providências no sentido de fazer com que a concessão pública seja prestada com a qualidade que a população merece.

Othelino lembrou que já tratou do assunto, por diversas vezes, na tribuna, este ano. No mês de junho, foi realizada uma audiência pública, requerida pelo deputado do PCdoB, na cidade de Pinheiro, da qual participaram os representantes das duas empresas que firmaram compromissos. Depois, houve ainda uma reunião na Assembleia, onde foram acertados prazos e medidas a serem adotadas, mas nada aconteceu.

Segundo Othelino, o serviço do ferryboat permanece muito ruim e a população, em particular da Baixada, que utiliza muito o transporte, continua se sentindo desrespeitada e reclama bastante. O parlamentar disse que o consumidor se queixa nas emissoras de rádio, pessoalmente, manda a denúncia, mas nada está sendo feito para solucionar os problemas.

Policiais Civis do MA decidirão sobre greve em assembleia no dia 12

10647785_545561662222658_1207621263_n

Mais de 100 policiais civis do Maranhão estiveram reunidos, nesta segunda-feira (1), no auditório do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado do Maranhão (Sindsep-MA).

Na pauta principal de discussão, os problemas da categoria, que estão com vantagens salariais congeladas e não dispõe de condições dignas de trabalho (o caso se agrava ainda mais no interior), e a precariedade da estrutura das delegacias no estado.

Após a reunião, foi marcada uma assembleia geral para o próximo dia 12.09.2014, às 17h00, na porta do Plantão da Refesa, em São Luís, com o objetivo de tratar da pauta de reivindicações e um possível indicativo de greve.

Caso não haja uma posição da parte do governo Roseana Sarney, mais uma greve poderá ser deflagrada, prejudicando a população que já é penalizada com a gestão pífia e desastrosa da filha do senador José Sarney.

Entre os pontos a serem levados para a assembleia, estão:

1. Delegacias do interior do Estado estão cheias de presos. Os policiais estão sendo obrigados a fazer custódia de presos, o que incorre em usurpação de função.

2. O efetivo é mínimo, ocorrendo casos de policiais responderem por mais de um município, sem ganhar diárias e nem hora extra.

3. Desde o concurso de 2002 o Estado não paga insalubridade aos policiais que ingressam na categoria. Só passa a receber quando alguém que recebe aposentar ou falecer. Também não pagam risco de vida.

4. Vantagens congeladas há 7 anos. O vale alimentação é 284, por exemplo.

5. As Delegacias estão sucateadas.

6. O Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão) ganhou uma ação judicial de dedicação exclusiva que o Estado paga pela metade e uma Ação de Nível superior que o Estado não paga.

Marina será a primeira presidente do país a governar sem Sarney e Collor

Marina Silva

O senador João Capiberibe (PSB-AP) compareceu ao lançamento do Programa de Governo da candidata Mariana Silva, em São Paulo.

O programa apresentado tem seis eixos temáticos. Contempla os movimentos sociais quando defende o assentamento de 85 mil famílias que estão hoje à espera de lotes e também o agronegócio, lembrando que é o segmento que sustenta o equilíbrio das contas externas do Brasil.

Marina também apresentou propostas para retomar o crescimento econômico. Ela defende a independência do Banco Central e manterá o tripé macroeconômico: respeitar as metas de inflação, gerar superávit primário para pagamento da dívida pública e manter o câmbio flutuante.

Para o senador Capiberibe, que é o representante da Amazônia na campanha da Marina, “o mais importante é que ela vai governar o país, sem as oligarquias políticas que vêm dominando o país nos últimos 30 anos”. Capiberibe afirmou que Marina será a primeira presidente do país em condições de trabalhar no Congresso Nacional sem precisar dos votos de Sarney, do Color e do Renan Calheiros.

Ainda segundo o senador, “Marina vai abrir o diálogo com o Congresso Nacional e, tenho certeza, vai conseguir atrair votos dos parlamentares comprometidos com o povo. Ela irá conseguir votos de políticos do PT e do PSDB. Tem muita gente boa no Congresso”.

Marina Silva afirmou que seu Programa de Governo foi construído por muita gente e que continuará a receber contribuições.

Julio Moreira
ExLibris Comunicação Integrada

Agosto termina com 102 homicídios na região metropolitana de São Luís

TV Guará

O mês foi o mais violento do ano e registrou uma média assustadora de três mortes por dia

Sete homicídios foram registrados neste fim de semana na região metropolitana de São Luís, com mais estes dados o mês termina com a assustadora marca de 102 assassinatos registrados em Agosto.

Os números são quase o dobro do registrado em julho quando 68 pessoas foram mortas. De janeiro até hoje 586 pessoas foram assassinadas na região metropolitana de São Luís. Apenas aos finais de semana deste ano foram registrados 303 homicídios (de sexta a domingo) – mais da metade do número total de pessoas assassinadas neste ano.

Confira a listagem feita a partir de dados da Secretaria Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA):

JANEIRO – 87 assassinatos no mês / 39 deles nos fins de semana
FEVEREIRO – 68 assassinatos no mês / 39 deles nos fins de semana
MARÇO – 79 assassinatos no mês / 44 deles nos fins de semana
ABRIL -69 assassinatos no mês / 36 deles nos fins de semana
MAIO – 71 assassinatos no mês / 41 deles nos fins de semana
JUNHO – 58 assassinatos no mês / 33 deles nos fins de semana
JULHO – 68 assassinatos no mês / 27 deles nos fins de semana
AGOSTO – 102 assassinatos registrados até agora / 44 deles nos fins de semana

Justiça Eleitoral condena Edinho Lobão a retirar propagandas ofensivas do ar

As propagandas eleitorais produzidas pela coligação “Pra frente, Maranhão”, de Edinho Lobão (PMDB), estão sendo analisadas negativamente pela Justiça Eleitoral. Devido aos ataques feitos ao adversário Flávio Dino (PCdoB), a coligação de Edinho vem sofrendo derrotas no Tribunal Regional Eleitoral pelo conteúdo agressivo que apresenta nos programas de TV.

No último final de semana, por exemplo, uma das propagandas de Edinho Lobão que faz referências negativas ao partido ao qual Flávio Dino é filiado foi proibida de ir ao ar. Segundo a juíza Maria José França Ribeiro, “a propaganda dirigida ao partido ao qual é filiado o segundo representante atribui características que, em um primeiro exame, se afiguram antidemocráticas e autoritárias, mostrando-se possivelmente incompatíveis com o processo eleitoral e com o equilíbrio da disputa”.

De acordo com a decisão da juíza, a coligação de Edinho deve se abster de veicular a propaganda e informou também às emissoras de rádio e TV sobre a decisão. A multa diária em caso de descumprimento da decisão é de R$ 50 mil.

Entre sexta-feira e domingo, quatro inserções de rádio e TV da coligação de Edinho Lobão foram consideradas abusivas pela Justiça Eleitoral, que determinou que o PMDB e demais partidos se abstenham de veicular esse tipo de propaganda.

As decisões tiveram caráter “liminar”, isto é, de urgência. No entanto, nos próximos dias a Justiça Eleitoral deverá julgar o provimento de Direitos de Resposta à coligação “Todos pelo Maranhão”, que vem sendo agredida pelas propagandas de Edinho Lobão.

Redes sociais

Também nas redes sociais, a propaganda da campanha de Edinho Lobão tem se destacado negativamente pela agressividade em relação ao oponente. Esta semana, mais uma decisão desfavorável a perfis fakes criados com o intuito de atingir Flávio Dino, primeiro colocado nas pesquisas de intenção de voto.

Desta vez, foi determinado que os perfis “Agora é taca” criados com o intuito exclusivo de agredir a imagem de Flávio Dino sejam tirados do ar por serem considerados ilícitos. Anteriormente, o próprio site de Edinho Lobão foi condenado a retirar um dos vídeos que faziam referências negativas a Flávio Dino.

Direito de Resposta em rádio

Na última quinta (28), a rádio Difusora AM também foi informada pela Justiça Eleitoral de que deverá veicular nos próximos dias um Direito de Resposta a Flávio Dino. Durante a programação jornalística, um dos locutores atribuiu a Dino ações que ele jamais cometera, segundo a própria Justiça Eleitoral. A rádio pertence ao candidato Edinho Lobão.

As afirmações do jornalista que se referiu ao candidato como “o outro” ou “o demônio” tinham caráter exclusivamente calunioso, conforme diz a decisão proferida pelo juiz Ricardo Macieira. “Trechos do Programa tem caráter notoriamente calunioso, já que nada resta comprovado sobre tais afirmativas, além de também possui viés injurioso, pelas expressões que usa para se referir ao representante”, diz a decisão.

Na semana passada, a rádio Mirante AM também veiculou Direito de Resposta concedido a Flávio Dino através de decisão judicial. A rádio pertence à família Sarney.

Ainda tem jeito?

flavio-dino-e-edinho-500x380

O senador José Sarney deu prazo de 15 dias para a virada do candidato a governador Lobão Filho (PMDB) sobre Flávio Dino (PCdoB). Bem, findando-se o prazo dado por aquele que também dizia que Luis Fernando seria vitorioso, a tal virada está longe de acontecer, a julgar pelas últimas pesquisas.

De acordo com recente consulta do instituto DataM (037/2014), Edinho Lobão alcança apenas 23% das intenções de voto, enquanto que seu principal oponente, Flávio Dino, desponta com 57,8% das intenções de voto – uma vantagem de 35 pontos pontos percentuais.

Isto é, pela lógica, Lobão teria que conquistar 1% por dia para empatar tecnicamente com Flávio. Conta das mais difíceis.

Sendo assim, muitos que integram o núcleo duro do grupo Sarney, vendo o barco naufragar, a começar pela governadora Roseana Sarney, já entregaram os pontos. Aliás, fazendo justiça, Roseana nunca acreditou na vitória de Edinho, tanto que tem se ausentado da campanha dele. Faz apenas o tradicional jogo de sena.

Nesse  sentido é que, avaliando a estagnação de Lobão Filho e seu alto índice de rejeição (44% dizem não votar nele), muitos pularam para o lado de Flávio Dino. Vários vereadores, prefeitos, ex-prefeitos que estavam o candidato da oligarquia Sarney já declararam apoio a Flávio Dino. Ontem foi a vez do deputado Edson Araújo (PSL) deixar a nau lobista e marchar com a caravana dinista.

Nos próximos dias, mais adesões a Dino são esperadas.

Por outro lado, fala-se, nas rodas de conversas, em 600 milhões para virar o jogo.

Considerando que falta cerca de um mês para a eleição, aliado ao pífio desempenho de Lobão Filho e os votos cristalizados de Flávio Dino, ninguém, nenhum empresário ou empresa vai investir em uma campanha que ainda não deslanchou. Seria jogar dinheiro fora – talvez seja por isso que a campanha de Lobão Filho passa por uma crise financeira.

A falta de interesse começa pela própria governadora Roseana Sarney, que está despedindo-se do governo. As prioridades dela, todo mundo sabe, agora são outras…

Página 1 de 60912345...102030...Última »