O deputado Adriano Sarney vibrou, ao comentar nesta segunda-feira (29), a visita que fez ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e ter a garantia dele de que depois das Olimpíadas do Rio de Janeiro enviaria as tropas da força nacional para o Maranhão.

“Foi uma conversa muito boa, ele me garantiu, assegurou que depois das Olimpíadas enviará a Força Nacional para o Maranhão para fazer o policiamento ostensivo. Estava lá como testemunha o deputado federal Fufuca, nosso querido Fufuquinha, e o deputado federal Sarney Filho, meu pai”, comemorou Adriano Sarney, como se fosse uma vitória em cima do governador Flávio Dino.

Só que o entusiamo do deputado Adriano Sarney foi por água abaixo.

Poucas horas depois do pronunciamento do deputado o Palácio do Planalto anunciou em nota que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, deixará o cargo para assumir a Advocacia-Geral da União. Ele substituirá no cargo o atual AGU Luís Inácio Adams, que deixará o posto por motivos pessoais.  Para o lugar de Cardozo, a presidente Dilma Rousseff convidou o baiano Wellington Cesar Lima e Silva, que atuou como procurador-geral de Justiça da Bahia.

No posto desde janeiro de 2011, Cardozo era um dos principais conselheiros políticos da presidente Dilma Rousseff, mas vinha sofrendo pressão por parte do PT por não controlar as atividades da Polícia Federal, especialmente nas investigações da Operação Lava Jato, que atingem agora o ex-presidente Lula e a família.

Enfim, durou pouco, mas muito pouco, a alegria de Adriano Sarney. Isso que é ser um tremendo pé frio.