Repercutiu bastante matéria do blog questionando as declarações do presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET), José Luiz Medeiros, concedidas ao jornal O Estado do Maranhão de domingo.

Medeiros afirmou ao jornal da família Sarney que a tarifa de ônibus coletivo em São Luís é a mais barata do país, quando na verdade capitais como Recife, Teresina e Vitória têm passagens com menor valor que a capital maranhense.

Pontuamos ainda que com um serviço negligente, porco e de péssima qualidade oferecido ao usuário de São Luís – que todos os dias é desrespeitado ao andar imprensado e sem nenhum conforto e segurança em latas velhas – pagar R$ 2,60 se torna caro ao bolso do ludovicense. Fazendo as contas, cada trabalhador gasta R$ 5,20 só para ir e voltar do trabalho. Soma-se ainda os custos com as passagens dos filhos da escola, praia, shopping, cinema, igreja, no final do mês o rombo é enorme no orçamento familiar. Tirando as gratuidades, a meia-passagem e outros benefícios, o que chega a 50%, se pegarmos 250 mil usuários pagando R$2,60 todos os dias, entra nos cofres das empresas, em dinheiro vivo, uma média de 650 mil reais diário. Por mês, o montante chega a uma média de R$ 20 milhões de faturamento bruto.

Por fim, vale lembrar que em 2014 houve reajuste, quando o preço das passagens de ônibus sofreram acréscimo de R$ 0,30. Já em 2015, no dia 27 de março, a tarifa mais cara passou a custar R$ 2,60.

Abaixo, a resposta do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET)em ofício enviado ao blog.

Ao Blog John Cutrim

Ilmo. Senhor John Cutrim

O SET – Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís, entidade representativa de categoria empresarial, com sede à Rua Barão de Bagé, 08 – Apicum, São Luís – Maranhão, vem, por meio desta mensagem, em respeito à veracidade dos fatos e a este blogueiro, comentar a matéria veiculada no dia 28/02/2016, intitulada “Presidente do SET acha barato pagar R$ 2,60 para andar em sucatas de SL”.

Diferente do que foi veiculado neste título, o Presidente do SET José Luiz Medeiros não afirmou em nenhuma entrevista que “acha barato pagar R$ 2,60 para andar em sucatas de São Luís”. Mas sim, declarou que temos a menor tarifa dentre todas as capitais do Brasil atualmente, o que é um fato verídico.

Primeiramente, vale ressaltar que a crise do sistema de transporte de passageiros de São Luís não é fruto de um problema pontual de agora, mas sim decorrente de anos de uma política equivocada com a real necessidade da população, da cidade e do sistema de transporte; em especial no que diz respeito à questão das tarifas x qualidade dos serviços.

Os gestores anteriores fizeram com que houvesse um congelamento tarifário, que foi amenizado nos últimos anos, porém sem atingir o grau de equilíbrio necessário para o bom desempenho na prestação de serviços no transporte de São Luís. A correta remuneração é necessária para a manutenção da prestação dos serviços, bem como para que sejam feitos os investimentos em treinamento de pessoal, a melhoria salarial dos colaboradores e a compra de novos veículos; a exemplo do que é praticado em capitais brasileiras cujo modelo de sistema de transportes conta com tarifas adequadas (variando entre R$ 4,00 a R$ 3,60 em média) e – ou subsídios que possibilitam o serviço de qualidade ao usuário final.

Vale lembrar que São Luís possuía, no ano 2000, a frota mais nova do Brasil, com uma idade média de 2,5 anos (dois anos e meio).

Quando há a correta remuneração nos serviços, os empresários investem em frota e treinamento de pessoal. Mas, quando há o congelamento tarifário, o investimento em renovação de frota cessa, e a frota envelhece exponencialmente. Os 2 casos ocorreram em São Luís:

De Abril de 2004 a Abril de 2014 ocorreram sucessivos períodos de longo congelamento tarifário, além da redução tarifária ocorrida em 2004, e o reflexo foi sentido na queda da qualidade do serviço de transporte da capital, com o envelhecimento da frota, devido a não renovação da mesma; mesmo sem a justa remuneração, as empresas concederam, anualmente, reajustes salariais para os seus colaboradores, agravando ainda mais o desequilíbrio entre receita e custo do sistema de transporte de passageiros.

Nesta referida década, foram concedidos pelo Poder Público 2 ( Dois ) reajustes tarifários, como exposto abaixo:

Ano Tarifa Mais Alta do Sistema
Abril / 2004 R$ 1,80
Fevereiro / 2010 R$ 2,10

O reflexo foi sentido pela população com a queda na qualidade dos serviços, e o envelhecimento da frota operante do sistema da capital maranhense. Porém, quando foi concedido o reajuste tarifário em 2014, as empresas corresponderam imediatamente com o alto investimento na renovação de frota. De Janeiro de 2013 até Fevereiro de 2016, foram comprados 371 ônibus novos, como exposto na própria matéria deste blog.

E neste cenário, para se manter em operação, as empresas precisaram contrair empréstimos bancários; fato este comprovado em auditoria feita pela própria Prefeitura de São Luís, em 2013.

Por fim, vale ressaltar que, ao contrário do que foi explanado por este blogueiro, São Luís possui a tarifa média mais barata e defasada do Brasil, como explanado pelo Presidente do SET, José Luiz Medeiros. Veja a Planilha em anexo:

 

 

Tarifas médias – Capitais Brasileiras
Capitais Brasileiras
Última Atualização: 29/02/2016
Cidade UF Tarifa média (R$) Início da Vigência
BRASÍLIA – MUNICIPAL DF 4,00 19/09/2015
RIO DE JANEIRO – MUNICIPAL RJ 3,80 02/01/2016
SÃO PAULO – MUNICIPAL SP 3,80 09/01/2016
PORTO ALEGRE – MUNICIPAL RS 3,75 22/02/2016
BELO HORIZONTE – MUNICIPAL MG 3,70 03/01/2016
CURITIBA – MUNICIPAL PR 3,70 01/02/2016
GOIÂNIA – MUNICIPAL GO 3,70 06/02/2016
CUIABÁ – MUNICIPAL MT 3,60 26/02/2016
FLORIANÓPOLIS – MUNICIPAL SC 3,50 03/01/2016
SALVADOR – MUNICIPAL BA 3,30 02/01/2016
CAMPO GRANDE – MUNICIPAL MS 3,25 19/11/2015
MACEIÓ – MUNICIPAL AL 3,15 10/01/2016
BOA VISTA – MUNICIPAL RR 3,10 01/01/2016
ARACAJU – MUNICIPAL SE 3,10 27/12/2015
MANAUS – MUNICIPAL AM 3,00 18/01/2015
RIO BRANCO – MUNICIPAL AC 3,00 19/12/2015
JOÃO PESSOA – MUNICIPAL PB 3,00 07/02/2016
PALMAS – MUNICIPAL TO 2,95 15/08/2015
NATAL – MUNICIPAL RN 2,90 31/01/2016
RECIFE – MUNICIPAL PE 2,80 19/01/2016
TERESINA – MUNICIPAL PI 2,75 07/01/2016
FORTALEZA – MUNICIPAL CE 2,75 07/11/2015
MACAPÁ – MUNICIPAL AP 2,75 05/09/2015
BELÉM – MUNICIPAL PA 2,70 16/05/2015
VITÓRIA – MUNICIPAL ES 2,70 24/01/2016
PORTO VELHO – MUNICIPAL RO 2,60 08/01/2010
SÃO LUÍS – MUNICIPAL MA 2,52 27/03/2015
TARIFA MÉDIA   3,1804  

Além disso, houve um equívoco deste blogueiro quando o mesmo se referiu ao serviço da Linha T090 – Terminais Br-135. Na verdade, a linha opera ao longo de 39,7 Km, e não apenas 2 Km.

Vale ressaltar que a linha mais longa do sistema de transporte de São Luís se chama Coqueiro / Mercado Central, e possui 78,1 Km, sendo operada regularmente por 7 (sete) veículos.

Por fim, o SET se coloca à disposição para novos esclarecimentos, bem como se mantém aberto ao envio de informações sempre que se façam necessárias pra toda a imprensa.

Atenciosamente,

A DIRETORIA DO SET