São Luís - MA Nublado e Pancadas de Chuva 25°C 31°C

Nos últimos segundos da prorrogação: Sarney e Carcará expulsam LF,  Lobão Filho é escalado…

JPCharge24720_full

Empresário será homenageado pela sua grande contribuição no desenvolvimento econômico do estado do MaranhãoEmpresário maranhense Marcio Honaiser

O empresário da região sul do Maranhão, Márcio Honaiser, receberá às 11h desta quinta-feira (10), no Palácio Manuel Beckman, da Assembleia Legislativa do Maranhão, o título de Cidadão Maranhense.

Natural do Rio Grande do Sul, porém radicado no Maranhão desde 1976, quando seus pais vieram para o sul do estado quando o potencial agrícola da região de Balsas era apenas uma promessa, Honaiser fez sua vida no Maranhão, onde se tornou um grande empresário dos mais diversos ramos.

Atualmente, além de estar no comando administrativo da Unibalsas, Márcio Honaiser também está à frente de outros três empreendimentos da família: a Lavronorte Máquinas, a Cromo Construtora e Incorporadora, e a Lavronorte Agrícola. Juntas, as quatro empresas do grupo Honaiser possuem hoje quase mil funcionários.

Márcio Honaiser é formado em Engenharia pela Universidade Estadual do Maranhão (Uema), pós-graduado em gestão de agronegócio e em desenvolvimento de executivos. Militou em movimento estudantil, onde teve participação destacada na Juventude Socialista do PDT, a qual foi dirigente nos âmbitos municipal, estadual e nacional (Da assessoria).

Nota do blog: Nos bastidores do poder, comenta-se que uma comitiva de vários pedetistas do Brasil inteiro está sendo aguardada para o evento, entre tantos, o presidente nacional do PDT   Carlos Lupi, também o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias.

Oligarquia Sarney lança plano “B”roseana3

Roseana Sarney reaparece mentindo. Viram como a governadora Roseana Sarney de uma hora para outra apareceu numa inauguração falando sobre a “desistência” de Luís Fernando seu candidato (A) e passou a falar do Edinho Lobão, seu candidato (B)? Ora, quem desiste de ser governador?

Pois é, depois de tanta burrada, vão querer agora, empurrar um “plano B” “talhado nas coxas”, numa tentativa desesperada de reverterem, num curto espaço de tempo, a vertiginosa e vergonhosa derrota que estão preste a sofrer.

Até quando os Sarney vão mentir descaradamente? É sempre assim em tempo de eleição, quando não conseguem iludir e enganar, começam confundir a cabeça do povão. O certo é que acabam mostrando todo desespero ao criarem tantas mentiras e factóides. Lembram da fábrica de Rosário, da Refinaria Premium, e o caso Lunos, da dinheirama que a Polícia Federal apreendeu no escritório do marido de Roseana Sarney?

Sabe quantas versões foram dadas para justificar o crime? Até o senador João Alberto foi chamado para mentir, que foi logo desmentido pelo próprio Jorge Murad, com outras versões mirabolantes…

Relembre o escabroso caso de desvio de dinheiro público, clicando aqui: CASO LUNOS: 

Diferente daquilo que sarneístas apregoavam, Jerry não foi “demitido”, pediu para sair.

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, trocou recentemente mais três secretários. Está agindo corretamente. Gestor age desta forma, se não está dando resultados, troca-se. Pior fazem aqueles que governam para suas famílias, que deixam vários anos uma secretaria nas mãos de incompetentes, consumindo e onerando o estado.

Holanda e Jerry: saída honrosa, pelas portas da frente...

Holanda e Jerry: saída honrosa, pelas portas da frente…

O comentário do blog é direcionado a uma figura da política que também deixou uma das secretarias municipais, o comunista Márcio Jerry, que comprovou toda sua habilidade de gestor à frente da Comunicação ludovicense.

Márcio Jerry, que é líder do PCdoB maranhense, acaba de encerrar uma importante etapa de sua vida pública, deixando a Prefeitura de São Luís, honrado, pela porta da frente, e não como diziam aqueles que jogavam contra, que, inclusive, marcaram várias vezes (pelo menos 7 vezes) que “levaria um pé na bunda, dado pelos Holandas”.

Pelo contrário, a saída pela porta da frente, serviu para comprovar que não passam de invencionices as conversas que tentam relacionar o fracasso do ex-prefeito Jomar Fernandes(PT) com a gestão do agora, ex-secretário de Comunicação de São Luís, Márcio Jerry.

Este blogueiro reconhece foi mais um que entrou em rota de colisão com o comunista, quando fez alusao à derrota do petista Jomar Fernandes, quando este foi prefeito de Imperatriz, à época, Jerry foi seu secretário de Comunicação.

Ficou claro para todos quem realmente é Marcio Jerry.

No Palácio dos Leões…

 

JPCaju

 

(Caju Jornal Pequeno)

No Brasil inteiro…

 

1981930_703571096366808_4413857334154044583_n

Quase tudo pronto para a Copa, já para o resto… (Cartunista Renato Machado)

 

Mentiras estão sendo disseminadas para confundir eleitores do interior

Não dá para entender a lógica de certos blogueiros.

Acabei de ler uma analise feita pelo líder do Sistema Coridoso, que visivelmente está recheada de mentiras. Deu para notar que descaradamente está puxando a sardinha para que a oligarquia Sarney se perpetue no governo do Maranhão. Do mesmo modo que sempre fizeram no período das eleições, aparecem agora inventando mentiras com o nome de um candidato que está bem cotado para vencer as eleições (relembre o caso Reis Pacheco). 

Dá para entender como em curto espaço de tempo esses blogueiros que eram defensores ferrenhos da candidatura de Luís Fernando, tornaram-se os maiores interessados na candidatura do senador (sem votos) Edison Lobão Filho ao governo? Isso mesmo, de uma hora para outra o blogueiro líder do Sistema Caridoso está espalhando que Flávio Dino está recebendo apoio de Sarney e toda sua oligarquia para vencer as eleições de 2014.

Já viram como essa mentira visa confundir a cabeça dos eleitores nas cidades do interior?

Quer dizer, então, que, durante todo esse tempo que Flávio Dino apareceu em larga vantagem nas pesquisas, ele não tinha pedido ajuda de Sarney. Agora, justamente agora, que o candidato de Sarney não emplacou, foi rifado por Roseana, Flávio Dino resolveu pedir ajuda para Sarney? Ora, Flávio Dino foi candidato a governador em 2010, teve votos suficientes para ir para o 2º turno com Roseana, mas, infelizmente, aconteceram fraudes e Roseana foi eleita no 1º turno…

O pior de tudo é que até agora ninguém apareceu para desmentir essa transloucada “matéria jornalística”. Credo cruz, meus filhinhos, menos!!!

Fiquem abaixo com a “magnífica” análise do blogueiro:

caridosos

 

 

Por José Reinaldo Tavares 

O senador Alexandre Costa, de saudosa memória, disse em certa ocasião ao senador José Sarney que, quando os filhos dele estivessem mandando na política, isto seria o seu fim e do grupo comandado por ele. Isso ocorreu há muitos anos, tanto que alguns amigos informam que essa mesma frase teria sido dita pelo estimadíssimo Maranhãozinho, competente chefe do escritório de representação do estado no Rio de Janeiro, durante muito tempo. Hoje o fato finalmente se tornou realidade e Roseana Sarney – com a sua decisão do dia 4 – sela definitivamente o destino do grupo, prestando contribuição decisiva e irremediável para dar fim a tanto poder exercido durante tanto tempo.salvação

A decisão de Roseana não teve motivação política. Foi pessoal, envolvendo apenas ela e o marido Jorge, que parece ser hoje quem realmente a influencia. E os motivos reais são ainda nebulosos, tanto que essa decisão ainda é inexplicável para o próprio pai e para todo o grupo, que se sente traído. Sarney lutou muito para evitar esse desfecho, mesmo porque acreditava que ela teria grandes chances de se eleger para o senado. Havia pesquisas nesse sentido. E ele, naturalmente,  considera que a presença no senado de alguém da família seria de fundamental importância para que ele pudesse manter o poder junto ao governo federal e, consequentemente, a blindagem de toda a família quanto à possíveis ações judiciais. Como Roseana tinha chances reais de ganhar a eleição para o senado, a decisão que tomou – tempestiva e longe dos desejos do pai – trouxe grande amargura para o chefe do clã. O que resta a fazer então?

Ele ‘jogou a toalha’, muito desgostoso, antes da sexta-feira, quando, estupefato, tomou conhecimento da decisão da filha, chegando a dizer que não aguentava mais e iria largar tudo.

O ato da governadora foi tão solitário que ela estava sozinha e muito nervosa no momento da divulgação. Se fosse uma decisão compartilhada e de comum acordo com os que têm poder no grupo, ela estaria acompanhada naquele momento. Lá não estavam nem José Sarney, muito menos Edison Lobão, João Alberto ou mesmo deputados estaduais e federais ligados ao grupo. Ela estava só. Tampouco o seu então candidato à sucessão governamental, Luís Fernando, estava lá.

E fato que Roseana já demonstrava sinais de cansaço. Já não exercia o governo na plenitude. Não aparecia e nem acompanhava o seu secretário de infraestrutura, travestido de candidato ao governo, no seu frenético esforço de se viabilizar, assinando ordens de serviço para todo o lado. Talvez Luís Fernando não tenha notado que Roseana pouco se importa com seus deveres de governadora. E só se aborrece com a rotina do governo. Sim, porque ela nunca prezou a classe politica e sempre se aborreceu muito em ter que receber deputados e prefeitos.

Pois bem, com esse gesto Roseana abandona politicamente a família e toda a base política do grupo. A reforma que fez nos altos escalões, nomeando novos secretários, demonstra o seu enfado com tudo. Como explicar o nexo, a adequação das pessoas escolhidas para os cargos a que foram nomeados?

Enfim, penso que agora Sarney cogitará fortemente a viabilização de um nome para disputa ao senado como alternativa final para dar uma sobrevida ao grupo e proteger a família. E tem duas opções: ele mesmo disputar uma arriscadíssima eleição no Amapá, onde não é favorito de maneira alguma,  ou, junto a Lobão e João Alberto, lançar um candidato ao senado para preservar algum poder. Mas quem?

Enquanto isso, consta que na noite do último sábado aconteceu um encontro nada amistoso entre Luís Fernando e Roseana, no qual Fernando Sarney também participou. A reunião, ao que tudo indica, foi tensa, ríspida, com ataques de todos os lados e, quando saiu de lá, Luís Fernando definitivamente já não era mais candidato a nada.

É bem verdade que vocês, leitores e amigos, sabem que eu nunca acreditei na candidatura de Luís Fernando e que, portanto, ele seria fatalmente trocado na reta final. Ele não conhecia bem com quem lidava. Deveria ter ouvido os alertas, mas, ao contrário, ficava muito irritado.

Na atual conjuntura é possível presumir que nem Sarney e tampouco Roseana estão no poder como antes. Agora o dividem com Lobão e João Alberto. Ao que parece, Lobão assumiu força no grupo. Nunca existe vácuo de poder e sempre que há tergiversações, alguém o assume e o exerce. É sabido que Lobão nunca contou com a simpatia da dupla Roseana Sarney e Jorge Murad. Sempre sofreu hostilidades daqueles. E o mesmo acontecia com o filho Edinho Lobão. Então, com a confusão e a perda de controle causada pela tresloucada decisão de Roseana, sem apoio de ninguém, abriu-se um vácuo no grupo Sarney e Lobão se aproxima para assumir o controle. Como primeiro ato, trabalha pela candidatura do filho ao governo do estado, entrando com grande pique, efetuando ligações telefônicas para todo o mundo político maranhense perguntando como veriam uma candidatura de Edinho ao cargo de governador.

Agora resta o Senado. Quem poderia sair como candidato do grupo? Gastão já pulou fora. Sem nomes, procuram Castelo, tão perseguido por eles, quando exercia o cargo de prefeito da capital. Creio que o partido não entrará nessa aventura, mesmo porque existem exemplos em grande número de que, quando atraem os adversários, o fazem unicamente para depois lhe darem um ‘abraço de afogado’. Parece que a motivação principal do convite é a de apenas tentar dividir a oposição. E só.

Entretanto, nada apagará a realidade. Acabou o grupo Sarney, o poderoso grupo que mandou no estado do Maranhão por quase cinquenta anos. Bastante deteriorado, teve início o seu desmoronamento e esta deverá ser a última eleição que disputarão. E, como concretização da profecia de Alexandre Costa, fato que intitula este artigo, Roseana, sem ouvir os apelos do pai, desferiu o golpe fatal no seu grupo, entregando todos à própria sorte. Por que fez isso? A verdade só será conhecida com o tempo.

Será assim? Não sei, mas as probabilidades são grandes. Vamos ver.

Por fim, mesmo considerando a factibilidade de todas essas movimentações, compartilho com vocês algo que me ocorreu: é também provável que Edinho Lobão acabe de fato concorrendo apenas ao senado, onde teria reais chances, se considerarmos a vantagem que a ‘máquina estatal’ poderá lhe conferir. Nesse caso, a candidatura ao governo, anunciada nesse momento, seria para impedir a deflagração de uma corrida de pretensos candidatos ao espólio de Roseana. Algo que eles deixariam para decidir depois, mas que por hora os mantém no controle do processo.

Eles sabem trabalhar a política, sem dúvidas.

PDT empolga classe política, os bons tempos voltaram?

Estive na noite de ontem, 7 de abriu, que por sinal foi o dia dos jornalistas, na sede do PDT para acompanhar a indicação do nome que formará chapa com Flávio Dino(PCdoB), seu vice-governador.

“O PDT maranhense continua ativo na política do Maranhão, o partido do governador Jackson Lago, fará a indicação do vice-governador por meio de um processo interno, democrático”, afirmou o ex-deputado Julião Amim.

Para a escolha do vice-governador, quatro nomes foram indicados: Sandra Torres, Rosângela Curado, Deoclides Macedo e Márcio Honaiser. A escolha foi feita por 40 delegados e 20 suplentes. Até às 21h, momento que deixei a sede do partido o processo de escolha ainda não tinha acontecido, por se tratar de um processo interno, não pude participar até o final da reunião.

Mas, as informações que recebi através do colega Frederico Luiz, foi que o empresário dos setores do agronegócio e educação superior na região de Balsas, Márcio Honaiser, venceu a disputa interna. Na imagem abaixo, registrada pelo blogueiro Frederico Luiz, o momento da vitória:

fred

No final de carreira, Sarney comprova aquilo que sempre negou…jose_sarney_25

O grupo Sarney nunca gostou de ser chamado de “oligarquia”, um regime em que poucos dominam tudo. Mas basta ver o processo de substituição de Luís Fernando para ver como funciona uma oligarquia.

 Uma minoria se reúne e decide. Cabe a todos acatar o que os oligarcas decidiram. Nem mesmo o presidente da Assembléia, o experiente deputado Arnaldo Melo, foi chamado para participar das reuniões decisivas.

Oligarquia Sarney exclui Arnaldo Melo259a74aa31a2d49e4b2bfe0519b755d9

De todo o processo de negociação para a definição da chapa do grupo Sarney para disputar as eleições de outubro, chama a atenção o fato do presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo (PMDB), ter sido excluído das decisões.

Mesmo fazendo parte do mesmo partido que Roseana e toda a cúpula do grupo Sarney, Arnaldo vem sendo sucessivamente excluído das negociações.

A desistência de Roseana Sarney de disputar o Senado teve o grande peso da desconfiança que o grupo Sarney cultiva por Arnaldo Melo.

Com sucessivas demonstrações de que não o consideram digno o suficiente de participar das decisões importantes do grupo, o grupo Sarney vai afastando de si o presidente da Assembleia, peça fundam tal no jogo da sucessão.

E aumentam as possibilidades de que os constantes diálogos de Arnaldo com lideranças da oposição possam fazer com que esse jogo da sucessão tenha ainda mais reviravoltas… Marrapá

Jornais da família Sarney tentaram esconder a troca de candidatos a todo custo

Blogosfera especulou ao máximo saída de Luís Fernando Luis Fernando e Edinho Lobão

Após o anúncio da “desistência” de Luís Fernando em disputar ao governo nas eleições que se aproximam, os blogues da capital entraram em rota de colisão.

Enquanto uns dizem que “sua saída foi provocada por uma conspiração no partido da governadora”, o PMDB, outros dizem que “seu afastamento foi armado para que a máquina federal entrasse em cena na condução de todo o processo”. João Alberto, Lobão e Sarney, estariam por trás do golpe. Saiba mais aqui:

O fato é que Edinho Lobão, que tornou-se conhecido pela boa vida de playboy, com suas mansões, carros esportivos(ferraris e porsches) , helicópteros e aviões, foi feito senador pelos votos do pai, que tornou-se ministro das Minas e Energia, por indicação de Sarney, como nos velhos tempos biônicos da ditadura. Edinho quer ser governador do Maranhão, mesmo sem votos. Eita lasqueira!!!!

Inversão de valores, a “piramide invertida”  do jornalismo maranhense…

Infelizmente o jornalismo maranhense informa apenas pela metade, os noticiários seguem obedecendo a regra onde a ordem dos valores ($) deformam os acontecimentos ao ponto de transformar em heróis, verdadeiros bandidos, e vice-versa.

Como neste Maranhão (há 50 anos) tudo gira em torno da política, quase sempre o enfoque é dado de forma a comprometer a ordem pelos valores, o ‘lead’ ou ‘piramide invertida, dá lugar ao conhecido “pague que eu publico”. Pelo jeito a notícia da “desistência” de Luís Fernando teve pouca relevância à sociedade…

Enquanto o Sistema Mirante permaneceu calado:

Lendo nos blogues do sistema Caridosos, logo no título do post a informação para lá de “polemica”: “Roseana Sarney traiu Luís Fernando com Lobão”, que seria uma trama organizada por João Alberto, Lobão e do próprio Sarney para afastar LF sem despertar a ‘birra’ da filhinha mimada, Roseana.

Imaginem a birra, já pensaram nas consequências? Ela é capaz de quebrar tudo, inclusive “dar tapa na cara de senador”…

Os blogueiros Frederico Luís, Diego Emir e Leandro Miranda (Marrapá) que deram a notícia da “desistência” de Luís Fernando em “primeira mão”, ainda na noite deste sábado (5) garantem que foi por “gente graúda” do PMDB, partido da governadora própria Roseana Sarney, que anunciavam sorridentes a “desistência” de Luís Fernando…  O Sistema Mirante, que em momento algum tentou esclarecer o “furo” dos blogueiros, até agora parece que omite os fatos.

Abaixo, deixo com os leitores a carta de Luís Fernando anunciando sua “desistência”.

Comunicado de Luis Fernando Silva ao povo do Maranhão

A propósito da minha pré-candidatura ao Governo do Maranhão, comunico à sociedade maranhense que:

1 – Na proximidade do período eleitoral, os grupos políticos iniciam um processo de articulação visando à escolha de nomes para a disputa. A cultura política brasileira instituiu para esse período a figura do pré-candidato;

2 – Em julho de 2013, as lideranças políticas do grupo ao qual pertenço atribuíram a mim tal condição de pré-candidato e não de candidato. Aproximando-se a campanha propriamente dita, é natural, no mundo político, que tal condição se altere, no interesse do êxito eleitoral;

3 – Concluída a missão de auxiliar do governo, na qual tive a honra de exercer, a convite pessoal da Governadora, os cargos de Secretário-Chefe da Casa Civil e de Secretário de Estado de Infraestrutura, após análise da conjuntura política e dos prováveis cenários em que ocorrerá a campanha eleitoral, manifestei a Sua Excelência, antes da data da minha desincompatibilização e do seu anúncio de permanecer ou não à frente do Poder Executivo até 31 de dezembro, a decisão de não concorrer ao pleito, deixando a critério do grupo político o momento adequado para promover a devida substituição;

4 – Ressalto a confiança, o apoio e a distinção de que sempre fui alvo por parte da Governadora Roseana no exercício dos referidos cargos de Secretário de Estado bem como na atividade político-institucional a eles inerentes;

5 – Destaco, também, que integro o círculo de amigos pessoais da governadora Roseana Sarney e dos seus familiares;

6 – Nesta oportunidade comunico, também, a decisão de permanecer como integrante do grupo, prestando apoio político ao Governo Roseana Sarney e me mantendo na luta pelo desenvolvimento do Maranhão;

7 – Valho-me desta oportunidade para manifestar a minha gratidão à Governadora, aos Senadores, aos ex e atuais deputados federais e estaduais, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores que integram o nosso grupo político, assim como aos líderes comunitários e estudantis, dirigentes de organizações da sociedade civil, movimentos sociais, militantes partidários, imprensa, usuários das redes sociais, cidadãos e cidadãs de todo o Maranhão que me acolheram, apoiaram e estimularam o cumprimento da missão de levar obras públicas a todas as cidades maranhenses;

8 – Finalmente, ao Maranhão, que testemunhou em mim compromisso e dedicação ao trabalho, reafirmo a esperança, que me conduziu durante todos esses anos, por um futuro ainda melhor.

São José de Ribamar, 07 de Abril de 2014

Página 4 de 549« Primeira...23456...102030...Última »