São Luís - MA Possibilidade de Pancadas de Chuva 24°C 32°C

Editorial do Jornal Pequeno destaca o pacto de José Reinaldo

Outro passo bem dado pelo homem que deu o pontapé na alternância de poder no Maranhão. Falem o que quiserem, mas José Carneiro Tavares é o homem mais digno da nossa política, sua atitude merece respeito de todos. Uma atitude que poderá refrear as insanas atitudes palacianas de culpar alguém, quando deveria trabalhar. zereinaldo

Que farão agora com o Zé, vão acusá-lo de querer boquinhas, como fazem com jornalistas? Vão acusá-lo de ser “postiço” como fizeram com os índios, ou vão acusá-lo de querer “propina” como fizeram com o padre de Pedrinhas?

Abaixo, fiquem com o editorial do JP desta quinta-feira.

Editorial – O pacto de José Reinaldo

É claro que a oposição iria interpretar e usar da sua ‘melhor forma’ o pacto proposto pelo deputado federal e ex-governador José Reinaldo Tavares. E é claro que José Reinaldo teve lá suas razões para fazê-lo. Mas a essência da proposta é nobre e perfeitamente pertinente em qualquer município, estado ou nação madura politicamente e que respire ares de verdadeira civilização. A Bahia, que se desenvolveu graças a um grande pacto “não oficializado”, vive sendo dada como exemplo disso.

Diriam os inseguros e defensores da aniquilação total e impiedosa dos responsáveis por um poder que durou 50 anos no Maranhão que a política é um mar estranho, muito estranho, no qual os monstros marinhos surgem de repente, do nada, sem qualquer aviso ou previsão e as bússolas trocam de mãos, da mesma forma de repente, para indicar que o Norte fica no Sul e o Sul fica no Norte, provocando mudanças geográficas dignas de tsunamis e terremotos.

E, ainda, que o mais novo monstro marinho do Estado seria o pacto proposto por José Reinaldo Tavares. Diriam mais: que o pacto é um monstro que bota fogo pelas ventas, um dragão enorme, uma hidra de mil cabeças, não só pelo que propõe, mas pelo marinheiro que dele se nos aproxima perigosamente; um velho lobo do mar, conhecedor de todos os rios e afluentes e um dos principais responsáveis pela expulsão de monstros marinhos, a começar pelo próprio Sarney, do poder no Maranhão: o ex-governador José Reinaldo Tavares.

Não tem como negar que o pacto proposto provocou cãibras na classe política e deixou todo mundo embasbacado. Porque, raciocinam os inseguros defensores do extermínio da ‘raça Sarney’, de outros marinheiros, menos feridos, menos naufragados, poder-se-ia até esperar essa proposta, mas esse marinheiro, particularmente, vestiu todas as armaduras para enfrentar os dragões de língua de fogo que, por quase meio século, perseguiram os pescadores de esperanças do Maranhão.

Se José Reinaldo, como talvez pretenderiam outros políticos – prefeitos, principalmente -, com razão ou não, quis chamar a atenção do governador Flávio Dino, ele usou a tese perfeita: polêmica, mas coerente e madura, pelo soerguimento e desenvolvimento do Maranhão, o barco mais frágil da Federação… “que os monstros marinhos não tiveram piedade, toda vez que, para saciar a própria fome, não relutaram em afundar”, raciocinariam novamente os ‘carniceiros políticos’, assemelhando-se aos linchadores de assaltantes em postes, e como se um erro justificasse o outro.

Inseguros, temerosos da “volta das ventanias e dos maremotos a que tantas vezes resistimos”, mergulham numa cegueira incontrolável e não conseguem enxergar a essência do pacto proposto. O pacto que todos nós almejam e que está na essência da proposta de José Reinaldo é que José Sarney deixe de sabotar e de boicotar o Maranhão com o resto de influência que ainda tem na esfera federal.

A imagem do dia: Clayton Noleto dando “chá de cadeira”…

Prática constante de “chá de cadeira” nas secretarias do “governo da mudança”… 

O secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto (PCdoB), que é pré-candidato a prefeito em Imperatriz, ao que parece incorporou as antigas práticas da oligarquia Sarney, de dar “chá de cadeiras”. Agora só está faltando dar baforadas de charuto.

Confira nas imagens abaixo, retiradas do blog do Domingos Costa.

11759580_892872660792904_1389541094_n

Rosi Vicentine é a nova presidente do PSB em Imperatriz

A advogada Rosiane Vicentini de Morais é a nova presidente da Comissão Provisória do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em Imperatriz (MA). Foi oficializada no cargo no domingo (19) depois de reuniões da executiva estadual do PSB liderada pelo Presidente da Executiva Estadual, Luciano Leitoa (PSB) e pelo senador Roberto Rocha (PSB-MA).unnamed

Imperatriz tem o segundo maior colégio eleitoral do Maranhão. O PSB no município ficou com Rosi Vicentini como presidente; Ronaldo Ferreira Costa como vice-presidente; Maria Aparecida Evangelista de Barros no cargo de 1ª secretária; Francildo Pereira do Nascimento como secretário de organização; Paulo Henrique Aragão Catunda como secretário de mobilização e líder da bancada; Michelângela Barros Vieira na secretaria de Finanças e Cleia Coutinho da Mota Araújo como secretária-geral.

Natural de Linhares, no Espírito Santo, Rosi Vicentini é militante política atuante na região tocantina, foi candidata a deputada estadual nas eleições de 2014, com 7.422 votos. Sua filiação foi abonada pelo, então, governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Atualmente Vicentini é membro da executiva estadual do PSB.

Ao falar sobre o desafio de estar a frente do partido na região, Rosi Vicentini considera uma grande responsabilidade, mas está confiante: “…é um desafio, por ser a segunda cidade do estado, mas a proposta é de unidade e diálogo ,levando em consideração os avanços conquistados até aqui, respeitando todos que já deram sua contribuição e buscando o fortalecimento do partido que deve ser reconhecido por sua independência. Vamos unir forças e agiremos com a prudência necessária e a firmeza que as circunstâncias exigirem. Sou muito grata e tenho muito reconhecimento a dois grandes companheiros de partido, que também são minhas principais referências políticas: o senador Roberto Rocha e Luciano Leitoa, Presidente do PSB no Maranhão”, declarou.

A nova presidente do PSB/Imperatriz considera de grande importância a composição de todas as forças da esquerda estarem fortalecidas em sua região. “ pretendemos trabalhar para fortalecer ainda mais o PSB, em Imperatriz. O partido pretende realizar, um grande encontro estadual reunindo todas as direções municipais para analisar propostas de comissões provisórias no Maranhão”, informou Vicentini. (Da assessoria do PSB)

Canibalismo indígena a verdadeira pedra no sapato de Flávio Dino

Uma pedra no sapato (salto Luís XV) 

Tá vendo aí, os comunistas falaram tanto em canibalismo para criarem uma cortina de fumaça e não mostrar a verdadeira situação, que acabaram caindo no mesmo canibalismo. Parece que alguém deixou os portões do Palácio abertos e os leõezinhos saíram para passear nas aldeias, para comerem as carnes dos índios Guajajaras…164660724.690x460

Nosso governador, cheio de pompas, foi discursar recentemente no Piaui sobre a inocência de Dilma Rousseff, a própria, que, entregou a nossa estatal brasileira, a Petrobras aos corruptos. Quem duvida que Dilma quebrou a Petrobras e também nossa economia?

Flávio Dino parece ser o único a acreditar na ingenuidade dela. Enquanto estava viajando no PI, no MA, estavam devorando carnes…

Cuidado com os leões, estão famintos…

Mas, ha quem diga que a pior tormenta de um governante seja o jornalismo. Discordo, pois o jornalismo quer respostas e foi responsável por quase todas as mudanças que já aconteceram no Brasil. Sem falar que, em alguns governos são os próprios “chegados” do governante que acabam se tornando verdadeiras tormentas.

Não vamos longe, lembram do primeiro mandato do presidente Lula, do Zé Dirceu e Palócci?

Mas tem coisa pior. Tem comunistas insatisfeitos com seus salários…

E a denúncia da assessora comunista, que despachava (muito) próximo do governador maranhense?

Segundo denúncias, estava cobrando porcentagens (propinas) para melhorar seus rendimentos de R$ 6 mil. ISSO, SIM, QUE É PEDRA NO SAPATO. Esse canibalismo selvagem  precisa ser investigado urgentemente pelo Ministério Público maranhense.

Mas, voltamos ao governo do Maranhão (e seus saltos altos, Luís XV). Parece que todos os governistas ficaram calados após a bomba ter sido estourada no Palácio dos Leões. Aquele mesmo que, segundo o governador (de saltos Luís XV), prometeu “não comer mais a carne dos maranhenses”…

E agora, vai tomar uma atitude, vai descer do salto?

indios galeria

A imagem do dia: Limeiracóptero…

A imagem do dia ficou para a assessora especial do governo, que mais parecia a cantora Angélica do “vou de táxi” descendo da aeronave da Polícia Militar atendendo seu celular, com conexões indígenas/palacianas.

simone

 

Maranhão de Sarney e Flávio Dino…

No Maranhão de Ana Jansem…

As Palavras do ex-governador José Reinaldo Tavares (editado no post abaixo) merece uma profunda reflexão sobre o Maranhão atual.

Serve, sobretudo para destacar a atuação pífia de quem prometeu mudar e continua fazendo coisas piores.flávio-dino-e-sarney

Serve para calar muita gente que chegou ao poder fazendo de Sarney uma assombração, mas foi só se revestir do poder, para fazer coisas piores.

Valeu, Zé Reinaldo.

José Sarney foi sem dúvidas o político que reteve maior poder e prestígio político no Maranhão, além de ter sido um dos mais fortes do país. E ficou mais poderoso ainda após o exercício na presidência da república. Sarney foi o poderosíssimo ex-presidente, sobretudo no governo de Lula da Silva. Mandava e desmandava à vontade e Lula chegou a dizer, inclusive, que Sarney não era um homem como os outros. Era quase um mito.

Mas no Maranhão, em que pese o seu julgamento, ficou devendo muito em relação ao que poderia ter feito, considerando o seu poder pessoal e político incontestáveis.
Mas, enfim, este não é um artigo para criticá-lo. Isso já fiz muitas vezes ao longo de muitos anos e por isso recebi muitas vezes o peso de sua ira. Contudo, isso ficou para trás e tenho que olhar para a frente e não ficar remoendo o passado.

De volta aos índios: Quem está mentindo, governo ou imprensa?

Nota do governo não bate com imagens 

Reviravolta na questão indígena, jornalistas maranhenses denunciam que uma assessora do governo, ligada ao secretário Marcio Jerry (PCdoB) estaria envolvida em tráfico de influencia. Em nota, o governo do estado afirmou que a assessora não estava habilitada para negociar com indígenas, apesar da assessora ter dado entrevista ao jornal local (Barra do Corda) afirmando que estava em missão oficial.

À época, a assessora deu declarações que, comparadas hoje, com a nota enviada pela Secretaria de Comunicação do Governo do Estado(Secom) aos órgãos de imprensa, Simone Limeira desmente por completo a nota oficial. Compare as declarações da assessora dada ao Jornal Grajaú de Fato:

“Estamos aqui representando o governo do povo, e do desenvolvimento do Maranhão para resolver problemas deixados pelo governo passado; são reivindicações da população indígenas para melhorar suas condições de vida, entre elas, a abertura de uma escola na Aldeia Bananal”, informou Limeira.

E agora, quem está mentindo: a imprensa, a assessora ou o governo?

Acompanhe as imagens e tire suas conclusões:

simoneAssessora do  governo em helicóptero da PM afirmou que representava o estado 

Por volta das 11h, um helicóptero do Grupo Tático Aéreo (GTA) da Polícia Militar (PM) do Maranhão pousou no pátio do Quartel de Grajaú, trazendo a assessora especial do governador do Maranhão, Flávio Dino, Simone Limeira, junto com ela, um representante da Fundação Nacional do Índio (Funai) e outro da Secretaria de Estado da Educação para negociar com os indígenas uma pauta de reivindicações ao governo e ao mesmo tempo a libertação de duas servidoras da educação que se encontram detidas pelos índios na Aldeia Apertado/Matusalém, terra indígena Bananal.

Continue lendo as declarações da assessora na reportagem do Jornal, clicandoa qui:

Pacto pelo Maranhão

Texto do deputado José Reinaldo Tavares, ex-governador do Maranhão 

José Sarney foi sem dúvidas o político que reteve maior poder e prestígio político no Maranhão, além de ter sido um dos mais fortes do país. E ficou mais poderoso ainda após o exercício na presidência da república. Sarney foi o poderosíssimo ex-presidente, sobretudo no governo de Lula da Silva. Mandava e desmandava à vontade e Lula chegou a dizer, inclusive, que Sarney não era um homem como os outros. Era quase um mito.sarney-e-lula

Mas no Maranhão, em que pese o seu julgamento, ficou devendo muito em relação ao que poderia ter feito, considerando o seu poder pessoal e político incontestáveis.

Mas, enfim, este não é um artigo para criticá-lo. Isso já fiz muitas vezes ao longo de muitos anos e por isso recebi muitas vezes o peso de sua ira. Contudo, isso ficou para trás e tenho que olhar para a frente e não ficar remoendo o passado.

Sarney não tem mais a força que teve, mas ainda tem muito prestígio pessoal e ainda detém grande força política. Isso é inegável.

Hoje se diverte criticando o governo de Flávio Dino, homem que derrotou de maneira muito clara o seu grupo político. Isso são fatos.

Farei aqui um apelo ao ex-presidente e àquele político que fascinou a todos os jovens promissores que com ele trabalharam, quando governador e nele acreditaram, como eu. Vejam bem, não estou pedindo aqui que deixe de fazer oposição, sendo esse o seu desejo. Não, nada disso! Estou propondo é um pacto pelo Maranhão, por esse estado pobre e com grande parte da população vivendo com renda oriunda do Bolsa Família. Estou propondo uma união de importantes forças políticas em torno de projetos fundamentais para o desenvolvimento do estado e para tirar o estado dessa situação. O Ceará fez isso no passado e disparou com uma agenda de consenso que o transformou num dos estados mais importantes do país. E o nosso Maranhão tem muito mais condições naturais para o desenvolvimento que o Ceará, mas hoje estamos bem atrás.

Países só se desenvolveram com pactos como esse, vejam o caso da Espanha, onde as questões eram tão acirradas que chegaram a ir a uma guerra civil sangrenta e terrível. Lá ficou na história o Pacto de Moncloa, fundamental para a busca do desenvolvimento que hoje sustenta a  Espanha moderna.

É claro que se isso não acontecer, iremos lutar até conseguirmos, mas se pudermos fazer uma agenda acima da política, juntando as forças de todos que puderem contribuir, será muito mais fácil e mais rápido conseguir mudar o Maranhão.

Parece óbvio que o ex-presidente teria, como tem em qualquer lugar, uma participação muito importante em tudo. Repito: não se trata de pacto político, mas sim de tentar elencar um grupo de projetos estruturantes para que possamos pular etapas e colocar o Maranhão em seu lugar entre os estados mais promissores do país.

Aqui falo por mim. Não falo por mais ninguém. Portanto não se trata de qualquer tipo de barganha. Não se trata da oferta de cargos em troca de apoio. Não é, enfatizo, um pacto político. Não se trata, enfim, de troca de favores.

O que pretendo é unir todos pelo desenvolvimento do Maranhão. É escolher pelo debate alguns projetos realmente fundamentais para alavancar o crescimento do estado e melhorar a vida sofrida de nossa população. Entre nós temos vários políticos de enorme prestígio, a começar pelo governador Flávio Dino e pelo ex-presidente José Sarney, juntando senadores, deputados federais e estaduais. Temos força política para, juntos nesse propósito, conseguirmos grandes avanços, desde que todos puxem numa só direção. O momento é de imensa dificuldade. O país quebrado, o governo federal politicamente paralisado por uma crise que começou política, indo em seguida tomar conta da economia e agora é social, com a inflação e o desemprego batendo à porta.

Não será tarefa fácil. Mas se estivermos unidos e com uma pauta bem estabelecida, creio que seremos fortes, objetivos e com grandes chances de conseguirmos grandes avanços. Só o fato de termos uma agenda em comum será de uma importância extraordinária.

Falo por mim, sem medos de patrulhas e de maus entendidos. Não serei eu a ganhar nada me arriscando assim. Será o povo do Maranhão. Mas sei que muitos entre nós pensam como eu. Não estarei sozinho e nem pregando no deserto. Nossa sociedade não perdoará a nós políticos, se não nos unirmos em torno do projeto maior que é o desenvolvimento do Maranhão. Essa é a finalidade maior de estarmos na política, com ou sem mandatos.

“Pronto, falei” – como dizem os internautas. Peço a reflexão de todos. Não se trata de rendição e nem de submissão. Trata-se do Maranhão!

Pensem nisso e vamos juntos!

Zé Inácio prestigia 12° da CUT

O deputado Zé Inácio (PT) participou do 12 ° Congresso Estadual da CUT. A 12ª edição da CECUT – Congresso Estadual da Central Única dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Maranhão, realizado no Auditório da FETAEMA – Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Maranhão

Deputado Zé Inácio fala do fortalecimento das Centrais Sindicais

Deputado Zé Inácio fala do fortalecimento das Centrais Sindicais

.O vento teve como objetivo uma ampla discussão sobre a Educação, Trabalho e Democracia, temas com a finalidade de serem aprovadas resoluções que contemplem um Plano de Ação para a intervenção da CUT e suas instâncias na conjuntura política, econômica e social do Estado e do País para os próximos 4 anos.

O parlamentar ressaltou a importância da união das Centrais Sindicais para o fortalecimento dos trabalhadores. “Hoje aqui temos representações de várias centrais, demonstrando que a união ainda é a melhor estratégia para desencadear essa guerra declarada contra o trabalhador”, declarou Zé Inácio.

O congresso deliberou, entre outros assuntos, a Conjuntura internacional, nacional e estadual; Balanço, Estratégia, Estatuto, Plano de lutas, Moções, Eleição de delegados (as) ao 12º CONCUT; ELEIÇÃO DA DIREÇÃO da CUT-MA e Conselho Fiscal para o quadriênio 2015-2019.

Enquanto Bira quer “rachar”, Edivaldo está com Rocha arrochando obras…

Tá vendo aí, Flávio Dino: Quem quer “rachar” não é Roberto Rocha!!!

Como diz o Dr peta: “marrapá essa galera não tem parelha”…  Alguns puxas palacianos trombetearam que Roberto Rocha ai “rachar” o governo, que ai ser candidato a prefeito, que seu partido ia sair da base do prefeito Edivaldo, parari parará…Briga pelo PSB

Mas, eis que, o secretário Bira do Pindaré, mostrando-se ávido por uma projeção maior na sua carreira política, vislumbrou a cadeira do executivo municipal. Tudo indica que isso aconteceu no momento em que ensaiou uma “debandada”, anunciando que seu partido entregaria cargos na prefeitura.

Bira, ao que parece, sequer combinou com Roberto Rocha, líder da legenda…

A tentativa de Bira, teve, com certeza, o aval do alto escalão do governo comunista, que, em tese, deveria dar total apoio à reeleição do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, que fez das tripas coração para emplacar Flávio Dino no governo.

Não vou aqui entrar no mérito do apoio da máquina municipal numa campanha, basta lembrar que nas eleições passadas, o prefeito da capital se negou a “ajudar” o candidato que hoje manda no estado. À época, o prefeito era Castelo, que simplesmente ficou de braços cruzados ( e mãos fechadas). Resultado, Dino atrasou em quatro anos sua vitória…

Mas, voltando ao apoio do PSB, enquanto Bira anunciava  a “debandada”, sabe onde estava Roberto Rocha, no caso, o filho do ex-vice-prefeito e atual senador?

Rochas estão andando com o prefeito, lógico.

Enquanto Bira "racha" os Rochas estavam com Edivaldo na Vila Fialho

Enquanto Bira “racha” os Rochas estavam com Edivaldo na Vila Fialho

O vereador Roberto Rocha Júnior (PSB) participou durante toda a manhã deste sábado (18), da 11ª edição do Programa “Todos Por São Luís”, promovido pela Prefeitura, que aconteceu no bairro Vila Vicente Fialho.

O evento contou com a presença do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC), equipes das secretarias municipais e estaduais, vereadores, empresas parceiras, além da primeira-dama do município, Camila Braga, que também é a coordenadora do programa.

Página 4 de 732« Primeira...23456...102030...Última »